Rio lança campanha contra turismo sexual

Combater a exploração sexual infantil e o turismo sexual são os principais objetivos da campanha que será iniciada amanhã pela Secretaria de Ação Social e Cidadania (SASC) em 110 hotéis e motéis do Rio. Foram distribuídos 60 mil folhetos e 4.500 cartazes, alertando os turistas para o fato de que a exploração sexual é crime, com pena que vai de 2 a 10 anos de prisão. "O turista que mantém relações com menores não nos interessa. Ele pode até deixar algum dinheiro na cidade, mas deixa seqüelas fortes também", afirmou o subsecretário Walter Oaquim.Um acordo fechado entre a secretária de Ação Social, Rosângela Matheus, e os empresários do setor hoteleiro prevê que os cartazes, com texto em português e inglês, sejam fixados não apenas nos lobbies dos hotéis, mas também nos quartos. Os folhetos têm textos em português, inglês, francês e espanhol que enaltecem as belezas naturais da cidade e pedem aos turistas que cuidem bem das crianças e dos adolescentes. Os folhetos trazem ainda o número do disque-denúncia para exploração sexual (21-3399-3131).Desde que o número foi inaugurado, em julho do ano passado, já recebeu 575 denúncias de exploração sexual infantil. "Não temos outros números, mas pesquisa qualitativa realizada no ano passado mostrou que as cidades do Rio de Janeiro, Búzios e Angra dos Reis têm uma incidência alta de turismo sexual", explicou Oaquim.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.