Rio mantém alerta máximo contra as chuvas

A Defesa Civil do Rio de Janeiro ficaráem alerta máximo até o próximo dia 5 em virtude da previsão dechuvas fortes no estado. Férias e folgas foram suspensas e as 93prefeituras já foram alertadas da possibilidade de novosdesabamentos e enchentes. "Enviamos um ofício para asprefeituras para que tomem as medidas necessárias para evitarmais problemas, pois de hoje até o dia 5 deve chover forte. Aprevisão é que tenhamos até chuva de granizo", informou odiretor-geral da Defesa Civil do Estado, João Bosco Simões deAssis.O estado do Rio já contabiliza 60 mortos desde o Natal,45 deles só em Petrópolis. A Defesa Civil ainda procura um bebêde dois meses no bairro do Quitandinha, o último da lista dedesaparecidos na cidade. "Vamos trabalhar até esgotar todas aspossibilidades de encontrá-lo", disse o diretor-geral do órgão.Com o fim dos trabalhos de busca, a prefeitura de Petrópolisprepara-se para a reconstrução da cidade.Cerca de mil pessoas serão contratadas em frentes detrabalho para a limpeza e reconstrução de casas e ruas. Osserviços públicos já foram restabelecidos e a estrada que ligaPetrópolis ao Rio, reaberta. A prefeitura estima em R$ 62,5milhões os gastos com a reconstrução da cidade e obras deprevenção. Metade dos recursos seriam destinados a contenção deencostas e R$ 22,5 milhões para a construção de 2,5 mil casas. Aprefeitura local, que já gastou R$ 500 mil com os primeirostrabalhos, pediu verbas ao governo federal, mas ainda não obteveresposta.Em Campos, onde 60 famílias tiveram que deixar suascasas depois de um temporal na quinta-feira, a Prefeitura tambémprepara a construção de casas populares. Dezoito casas foramtotalmente destruídas e outras dez, parcialmente. De acordo como secretário de Meio Ambiente e Defesa Civil da cidade, ZacariasAlbuquerque, as obras serão feitas em caráter emergencial eainda não há uma previsão de gastos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.