Rio melhora em sete dos 10 índices de criminalidade

Divulgadas com um mês de atraso pela Secretaria de Segurança Pública, as estatísticas da criminalidade no estado do Rio relativas a maio mostraram melhora em sete índices e piora em três, na comparação com maio de 2002. A quantidade de homicídios dolosos, latrocínios (roubos seguidos de morte), roubos a transeuntes, roubos e furtos de veículos, seqüestros, roubos a banco e de cargas caiu, enquanto a de roubos em coletivos, em estabelecimentos comerciais e em residências aumentou.Em números absolutos, a maior queda foi em homicídios dolosos, quepassaram de 667 para 599. Os roubos de carga caíram de 412 para 345 e roubos a transeuntes, de 1.616 para 1.558. O maior crescimento em números absolutos foi nos roubos a estabelecimentos comerciais: o número subiu de 638 para 712. Os roubos a coletivos passaram de 482 para 524 e a residências, de 166 para 180.O diretor da Assessoria de Planejamento da secretaria (Asplan), Sérgio Caldas, informou que as ocorrências de auto de resistência (morte de civil em confronto com a polícia), crime que não está entre os dez principais que têm os índices divulgados todo mês, deverá crescer em junho, embora os números não estejam fechados. O volume, por enquanto, está em 86, enquanto o mês de maio registrou 96 casos.O presidente do Instituto de Segurança Pública, coronel Jorge daSilva, explicou, no entanto, que a comparação deve ser feita sempre com o mesmo mês de 2002 e não simplesmente com o mês anterior, por causa da questão da sazonalidade (alguns crimes historicamente são mais comuns em determinados meses do ano). Junto com os índices, ele apresentou um boletim de monitoramento eanálise que será divulgado mensalmente. Munido do documento, Silva acha que será mais fácil cobrar resultados da polícia. Ele afirmou que o atraso na divulgação dos dados se deveu à confecção do boletim.O coronel creditou a queda dos números ao aumento do número de PMs e de carros nas ruas e à reformulação de batalhões, como o que cuida das vias especiais (Linha Amarela e Vermelha e Avenida Brasil).No fim de julho, o secretário de Segurança, Anthony Garotinho, vaiavaliar os índices dos meses de maio, junho e julho para analisar se apolícia atingiu a meta de redução de 12% dos números da criminalidade estabelecida por ele. Os delegados e comandantes da PM que não tiverem baixado o volume de crimes poderão ser afastados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.