Rio pagará R$ 20 mil a homem que ficou nu em blitz

Desembargador afirma, na decisão, que a PM deve evitar constranger e intimidar as pessoas

Central de Notícias,

28 de setembro de 2009 | 17h58

O governo do Rio terá que pagar R$ 20 mil a um homem que teve que ficar nu durante uma revista íntima feita por policiais militares. A decisão é do desembargador Lindolpho Morais Marinho, da 16ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado.

 

André Luiz de Souza contou que foi obrigado a ficar nu quando a van onde viajava foi parada e revistada em uma blitz. Ele alegou que a revista íntima foi feita desnecessariamente por suspeita de porte de arma ou de entorpecentes. Ele foi o único passageiro a ser revistado e em nenhum momento os policiais pediram sua identificação pessoal.

 

Para o desembargador Lindolpho Morais Marinho, a PM deve evitar constranger e intimidar as pessoas com comportamento autoritário e abuso de poder.

Tudo o que sabemos sobre:
RioJustiçablitzpolícia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.