Rio pede 4 mil homens do Exército para combater tráfico

O secretário estadual de Segurança Pública, AnthonyGarotinho, acaba de entregar ao seu equivalente federal, Luiz Fernando Corrêa, o pedido do governo do Estado para que a União ceda quatro mil homens das Forças Armadas para o combate ao tráfico de drogas.No documento, a governadora Rosinha Matheus afirma que o Rio decidiu aceitar a oferta de apoio da União, como forma de dividir responsabilidade no âmbito da segurança pública estadual, resguardando o principio federativo.Garotinho quer militares de tropas qualificadas, como pára-quedistas, fuzileiros navais e integrantes das forças especiais. Os militares atuariam até o fim do ano, dando tempo para que o governo estadual incorpore o mesmo número de novos agentes às suas polícias. Eles patrulhariam as seguintes áreas, selecionadas pelo Estado: Complexo do Alemão, Complexo de São Carlos e morros do Boréu, Dendê, Jacarezinho, Mangueira e Maré. O secretário Nacional de Segurança Pública, Luiz Fernando Correa, no entanto, já descartou de pronto o pedido. "Primeiro porque nós não temos 4 mil homens à disposição, segundo porque houve um mal entendido por parte do governo do Rio: o ministro da Justiça não ofereceu ajuda das Forças Armadas, mas sim de um conjunto de forças federais para ajudar o Rio em caso de extrema necessidade". Ele, no entanto, se comprometeu a encaminhar o documento com o pedido do governo do Rio ao Ministéri o do Exército, força responsável dos militares e não ao ministro da Justiça, Márcio Thomas Bastos, conforme vontade da governadora.Garotinho cobrou a implementação da política de Segurança Pública da União, com repressão aos tráficos de drogas e armas, patrulhamento das fronteiras e liberação de verbas para os Estados.

Agencia Estado,

13 de abril de 2004 | 17h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.