Rio pede rapidez em projetos de energia

O Rio de Janeiro quer que o governo federal autorize Furnas e Eletrobrás a investir em cinco projetos de geração de energia no Estado.De acordo com a Secretaria de Energia do Estado, a construção de duas usinas e a reforma de três poderiam aumentar a capacidade de geração de energia do Estado em 2,2 mil MW já no ano que vem. O secretário de Energia, Petróleo e Indústria Naval do Rio de Janeiro, Wagner Victer, argumenta que as duas estatais tiveram grandes lucros no ano passado e, portanto, têm capacidade para fazer os investimentos. "Enviamos carta ao ministro Pedro Parente (coordenador da Câmara de Gestão da Crise Energética) solicitando que os investimentos sejam autorizados", disse. Victer afirma que o Estado estaria disposto a dar incentivos fiscais para favorecer a instalação das usinas. "Os programas de licenciamento ambiental no Estado também estão sendo agilizados para facilitar a instalação das usinas", disse. O Estado quer que a Eletrobrás construa uma usina de 250 MW em Resende (Sul Fluminense) e outra de 480 MW em Macaé (Norte Fluminense), que serviria de reserva para usina nuclear de Angra 1. Furnas ficaria responsável pela aumento da potência da termoelétrica de Santa Cruz (de 600 MW para 1.240 MW), pela reativação da termoelétrica de São Gonçalo (195 MW) e pelo aumento na potência da termoelétrica de Roberto Silveira, em Campos, no Norte Fluminense (de 30 MW para 120 MW).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.