Rio perdeu R$ 500 mi devido a ataques, diz órgão comercial

O comércio do Rio teve um prejuízo recorde em razão dos ataques de traficantes de drogas desencadeados na quinta-feira na região metropolitana: perda estimada em R$ 500 milhões devido à queda de vendas. A informação foi divulgada nesta sexta-feira, 29, pelo presidente do Conselho de Varejo da Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), Daniel Plá. Segundo ele, na quinta-feira, o faturamento dos comerciantes caiu, em média, 30%. "A cidade parou, a vida noturna foi afetada e as lojas fecharam mais cedo. O clima de insegurança foi muito grande. Parecia uma cidade fantasma. As pessoas evitaram sair de casa", disse o presidente do Conselho de Varejo da ACRJ. "Só os taxistas tiveram prejuízo de R$ 2,7 milhões."Para ele, parte da perda financeira é irrecuperável. "As lojas de roupa e de eletrodoméstico, por exemplo, podem recuperar em breve o baixo faturamento, pois quem não comprou ontem [quinta-feira], pode comprar hoje [sexta-feira]. Exatamente ao contrário do que acontece nos bares, restaurantes e táxis." Daniel Plá previu um início de ano complicado para os lojistas. "O comércio estava contando com o faturamento de quinta-feira. Na terça-feira, os lojistas vão correr para o banco, a fim de pagar as contas e pegar empréstimos. Os banqueiros são os únicos que sempre saem ganhando." De acordo com Daniel Plá, o comércio não sentiu ontem o efeito da madrugada mais calma no Rio. O motivo: o último dia do ano é sempre "morto", alegou. "Muitas empresas antecipam a folga dos funcionários. Por isso, o movimento cai muito, principalmente no centro da cidade."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.