Rio: PM começa a ocupar o Alemão para substituir Exército e instalar UPPs

Ação da PM tem como objetivo 'preparar o terreno' para que sejam instaladas bases de UPPs nas comunidades, ocupadas pelas Forças de Pacificação há 1 ano e 4 meses

estadão.com.br,

27 Março 2012 | 06h20

SÃO PAULO - Desde as 4h45 desta manhã de terça-feira, 27, policiais militares do Bope e de vários batalhões, inclusive do Choque, iniciaram a ocupação de parte do Complexo do Alemão, onde as Forças de Pacificação do Exército estão há um ano e quatro meses.

 

O trabalho de ocupação da PM no conjunto de 13 favelas na zona norte da capital fluminense conta com 360 homens.

O objetivo da ocupação é substituir a presença das tropas do Exército no Complexo do Alemão por policiais militares para a instalação de duas bases de Unidade de Polícia Pacificadoras (UPP).  O fim do processo de mudança está previsto para junho.

 

Agentes da Ouvidoria e a Corregedoria da PM estão no local  e acompanham de perto a entrada dos policiais para evitar excessos por parte dos PMs.

Carros blindados e helicópteros, tanto da PM como do Exército, dão apoio à entrada no complexo de favelas. Até as 6h15, não havia registro de confronto entre traficantes da região e a polícia.

Mais conteúdo sobre:
Complexo do AlemãoBopeRioUPP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.