Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Rio põe mais funcionários na campanha de desarmamento

Surpreendida pela grande procura de pessoas que querem entregar armas, a Superitendência da Polícia Federal do Rio está reorganizando o Sistema Nacional de Armas (Sinarm). O superitendente da PF no Rio, José Milton Rodrigues, decidiu aumentar o número de servidores que atendem a população e vai colocá-los numa sala maior, que terá mais computadores.A PF firmou parceria com o Viva Rio, que vai ceder as máquinas e as divisórias para as novas instalações. O Sinarm irá ocupar uma área no prédio da superintendência cinco vezes maior do que a atual. O número de servidores que atendem ao público já subiu de 4 para 8.O Sinarm vinha recebendo armas da população desde o início do ano. De janeiro a julho, foram entregues 139 unidades. Nos últimos 12 dias, graças ao pagamento das recompensas, foram mais de 1.500. A média é de 135 por dia ? em sua maioria, revólveres. A Polícia Civil do Rio também tem feito o recolhimento de armas nas residências de quem teme transportá-las até uma delegacia. De acordo com o delegado André Carlos da Silva, diretor da Divisão de Fiscalização de Armas e Explosivos (DFAE), pelo menos 25 armas foram recebidas dessa forma até o fim da tarde desta terça.Além de aumentar a estrutura do Sinarm, a PF pretende oferecer à população de municípios do interior que não dispõem de postos da corporação a oportunidade de entregar armas. Os prefeitos e delegados das cidades serão procurados para que sejam escolhidos pontos de entrega. (Colaborou Alexandre Rodrigues)

Agencia Estado,

28 de julho de 2004 | 03h17

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.