Rio registra aumento de acidentes na Semana Santa

O feriado prolongado ainda não chegou ao fim, mas a Polícia Rodoviária Federal no estado do Rio de Janeiro computa aumento no número de acidentes na comparação com os registrados na Semana Santa em 2006. "Na quinta-feira do ano passado, primeiro dia da Semana Santa, foram 39 acidentes. Este ano, foram 55 acidentes, sendo 43 sem vítimas, 11 com vítimas e um com mortes?, disse o chefe da Comunicação Social do órgão, André Luiz Azevedo, acrescentando que os números mostram aumento de 40% em relação ao dia anterior. Na sexta-feira (6), as ocorrências subiram 30% em relação ao mesmo dia do ano passado: foram 30 acidentes, com um total de 19 feridos e três mortos. No mesmo dia de 2006, ocorreram 20 acidentes, com sete feridos e dois mortos. Azevedo diz que a situação melhorou no sábado. O número de acidentes caiu de 19, no ano passado, para 17 este ano, com dez feridos e uma morte. Em 2006, houve 22 feridos e duas mortes. Além do desrespeito dos motoristas às regras de trânsito, ele atribuiu o aumento ao maior número de veículos nas estradas devido à crise nos aeroportos brasileiros e à própria elevação da frota nacional. ?Tivemos a crise nos aeroportos, o aumento da frota de veículos movidos a gás e um aumento natural da frota de veículos, que cresce a uma razão de 7% ao ano. Tudo isso acaba fazendo com que a estatística seja realmente maior?, ponderou. Neste momento, acrescenta o policial, o tráfego já está intenso nas rodovias federais Rio-Santos e Rio-Manilha, que ligam o Rio de Janeiro à Costa Verde e à Região dos Lagos, respectivamente. A expectativa é que o fluxo aumente com o entardecer. Azevedo pede que os motoristas tenham bom senso ao retornar do feriado. Ele diz ser preferível voltar à noite ou mesmo amanhã. Se não for possível, os motoristas devem evitar o horário de pico, entre às 16 horas e às 19 horas de hoje. O balanço final da operação Semana Santa no estado será divulgado na segunda-feira.

Agencia Estado,

08 Abril 2007 | 19h37

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.