Rio registra menor número de homicídios desde 1991

Foram 1.414 vítimas de janeiro a março, 16,6% a menos que no mesmo período de 2009, diz Instituto de Segurança Pública; em Copacabana, roubos diminuíram 19,1%

Fabiana Marchezi, da Central de Notícias

13 de maio de 2010 | 12h32

SÃO PAULO - O primeiro trimestre de 2010 apresentou o menor índice de homicídios no Rio de Janeiro desde que as pesquisas foram iniciadas, em 1991, segundo balanço divulgado na quarta-feira, 12, pelo Instituto de Segurança Pública (ISP).

 

Segundo o instituto, foram 1.414 vítimas de janeiro a março, 16,6% a menos que no mesmo período de 2009, que contabilizou 1.695 vítimas. Comparando os índices de março de 2009 com o deste ano, houve redução ainda nos casos de roubos de veículos (20,4%), a pedestres (9,7%) e em coletivos (14,1%).

 

No mês de março, em Copacabana, zona sul da cidade, não houve registros de homicídio, latrocínio - roubo seguido de morte - ou roubo a residência. Os roubos na região diminuíram 19,1% no primeiro trimestre, enquanto os furtos cresceram 21,2%. Já na Tijuca, na zona norte, não foram registrados homicídio doloso e latrocínio.

 

Ainda segundo o ISP, apesar da redução de 21,6% nos roubos de veículos nos três primeiros meses do ano, os dados do ISP revelam que a zona norte ainda é a região mais atacada pelas quadrilhas. O número de roubo a veículos caiu 2.981 para 2.340. No entanto, esse total equivale a 68% do total de veículos roubados na capital.

Tudo o que sabemos sobre:
Riohomicídios

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.