Rio terá R$ 50 mi de ajuda federal após chuvas, diz Cabral

O Rio de Janeiro deve receber ainda esta semana R$ 50 milhões do governo federal para a recuperação dos 34 municípios castigados pelas chuvas, que deixaram ao menos 28 mortos no Estado, disse nesta segunda-feira o governador Sérgio Cabral (PMDB).Segundo ele, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai editar uma medida provisória que liberará os recursos para o Estado, onde mais de 12 mil pessoas perderam suas casas ou foram obrigadas a abandoná-las devido ao mau tempo. Doze municípios declararam situação de emergência."Falei longamente ao telefone com o presidente Lula e ele autorizou a edição da medida provisória. O Estado vai solicitar 50 milhões para atender os municípios afetados pela chuva e as rodovias bloqueadas", disse o governador a jornalistas.A quantia a ser liberada pela União é bastante inferior à solicitação inicial do governo fluminense, que era em torno de 150 milhões de reais. Outros Estados afetados pelas fortes chuvas, como Minas Gerais, também podem receber recursos federais.Só em 2007, as chuvas deixaram 36 mortos no Rio, São Paulo e Minas Gerais. Quatro pessoas morreram em São Paulo, enquanto em Minas mais três pessoas morreram no domingo por decorrência de um deslizamento de terra no município de Matias Barbosa.Na última semana, um acidente de ônibus deixou outras três pessoas mortas no Estado. Segundo a Polícia Militar da cidade de Manhumirim, chovia muito na hora do acidente, que ocorreu no km 98 da rodovia MG-111. Desde outubro, o número de mortos em Minas chega a 20."Nós queríamos mais (fundos), mas parece que o governo federal só tem 120 milhões para essa questão das chuvas. Já vamos ficar com 50 milhões, está bom, porque há outros Estados muito afetados, como Minas Gerais", afirmou o vice-governador e secretário estadual de obras, Luiz Fernando Pezão.A Defesa Civil do Rio informou nesta segunda-feira que o número de vítimas no Estado pode chegar a 29, uma vez que há desaparecidos na cidade de Campos, no norte fluminense.A região serrana do Estado é a mais castigada, com 25 mortes em desabamentos e soterramentos entre as cidades de Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis, Sumidouro e São José do Vale do Rio Preto."Ainda estamos preocupados, a situação anda complicada porque há perspectiva de mais chuva amanhã e quarta-feira. Estamos em estado de alerta", completou Pezão.O instituto Somar Meteorologia prevê continuidade das chuvas na região Sudeste do país pelo menos até o dia 17 de janeiro, com possibilidade de piora da situação."A previsão não é nada animadora esta semana. O volume de chuvas não é tão elevado, mas persiste nas áreas de Juiz de Fora (MG) e serra do Rio de Janeiro", disse o meteorologista Márcio Custódio."Em São Paulo, vai diminuir um pouco a partir de amanhã, mas o centro-sul de Minas Gerais e o Rio continuam chuvosos, e na semana seguinte, as chuvas ficam ainda mais pesadas", segundo ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.