Rio Tietê agora é navegável de SP a Santana do Parnaíba

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) inaugurou hoje em São Paulo a primeira eclusa do Tietê em perímetro urbano. A obra integra o programa do Estado de combate às enchentes. Com ela, segundo explicou o governador, será possível retirar com embarcações detritos e materiais que se acumulam no leito do rio. "Agora, com a eclusa e desvio de 3,20 metros, não vai mais precisar fazer isso (limpeza) pela marginal, usando caminhões", comentou. A cada eclusagem, disse o governador, podem ser retirados 300 toneladas de lixo, equivalente a 20 caminhões. Com a obra será possível a navegação pelo rio entre a barragem Edgar de Souza, em Santana do Parnaíba, e a barragem daPenha, um trajeto de 40 quilômetros. Em uma segunda fase, cujo prazo não foi estipulado pelo governo, o trajeto poderá serutilizado ta mbém para transporte de cargas e até de passageiros. "Alguém que more na Penha, por exemplo, e que queira se deslocar até Barueri, poderá fazer isso por barco", garantiu Alckmin. Segundo informações do governo paulista, os investimentos no programa de combate as enchentes chegam a R$ 731 milhões,dos quais R$ 537 milhões provenientes de financiamento junto ao JBIC ? Japan Bank for International Cooperation e outros R$194 milhões do Tesouro do Estado.A eclusa inaugurada hoje (20) tem 122 metros de comprimento, 12 metros de larga e 10 de altura. "É um elevador de águas quepermite vencer um desnível de 3,2 metros que separam as águas do Tietê ? por causa da barragem móvel ? na altura doCebolão", ilus trou o secretário de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento, Mauro Arce.O governador também anunciou que dos dois lados da marginal, entre a Penha e o Cebolão, haverá 24,8 quilômetros de jardim.Além da eclusa, dois descarregadores de fundo para controle das águas foram entregues por Alckmin. ESGOTO Ele garantiu ainda que a despoluição do Tietê, iniciada há dois anos, será concluída em 2006. A obra está orçada emR$ 1,2 bilhão ? sendo 50% provenientes do Banco Interamericano de Desenvolvido (BID), 25% do Banco Nacional deDesenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e outros 25% da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo(Sabesp). Segundo o governador, o esgoto coletado é levado para as cinco estações de tratamento de esgoto ? todas prontas ? da regiãometropolitana. "O rio Pinheiros, que hoje tem 0% de oxigênio, vai melhorar muito. Em dois anos, ele já poderá ter um nível bemraz oável de oxigênio", comentou Alckmin, explicando que o Tietê melhorará menos que o Pinheiros por causa do Tamanduatei(afluente do Tietê). "A grande poluição é do Tamanduatei, que vem com uma carga muito alta de esgoto do ABC." De acordo com ele, o esgoto nãoé tratado nos municípios do ABC. "Mas agora vamos assumir São Bernardo do Campo", afirmou. A estimativa do governo paulistaé que com a obra a capital, que hoje tem 77% de esgoto tratado, terá 87%. "E o coletado ficará acima de 90%", garantiu.O governador disse ainda que espera para os próximos dias uma decisão favorável da Justiça, que deverá autorizaro processo de flotação do rio Pinheiros. "Estou muito confiante em uma decisão favorável a termos uma experiência. Aí, seráuma beleza", comentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.