Rio: uma bomba na briga entre camelôs e Guarda Municipal

Equipes da Guarda Municipal e da Coordenação de Licenciamento e Fiscalização (CLF) foram surpreendidas com pedras e uma bomba jogadas, hoje à tarde, porum grupo de camelôs, durante uma operação de rotina da Prefeitura. O motorista de uma das duas viaturas da CLF quebradas durante o ataque, Júlio César Barbosa dos Santos, levou uma pedrada na cabeça. Além disso, um microônibus ficouparcialmente destruído pelo artefato.Segundo a Guarda Municipal, o tumulto começou logo após a apreensão de 744 CDs falsificados, quando o material estavasendo levado para uma das centrais de recolhimento. Atingido pela bomba, o microônibus teve vidros e uma das lateraisinteiramente danificados. O impacto da explosão deixou dois dos 10 guardas que estavam dentro do veículo com problemas deaudição. Eles foram encaminhados para o hospital, assim como o motorista da CLF. Dois ambulantes que participaram doataque foram detidos e encaminhados para a 1ª DP (Praça Mauá).

Agencia Estado,

09 de janeiro de 2004 | 19h05

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.