Rio vai destruir 100 mil armas

O secretário de Segurança Pública do RJ, Josias Quintal, anunciou, hoje, que o governo do Estado vai destruir cerca de 100 mil armas, das 180 mil que estão acauteladas na Divisão de Fiscalização de Armas e Explosivos (DFAE) até o fim deste semestre. A eliminação das armas será possível graças a um ato executivo conjunto do presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, desembargador Marcus Faver, e do Corregedor-Geral de Justiça, desembargador Paulo Gomes, determinando que as armas acauteladas há mais de cinco anos e sem definição de destino podem ser destruídas.Antes da decisão da Justiça, assinado no dia 20 de março o governo só poderia dar cabo de armas apreendidas em um prazo de 20 anos. De acordo com Quintal, vai ser feita uma grande solenidade, que teria patrocínio das Organizações das Nações Unidas (ONU), para eliminação do armamento. Segundo ele, a idéia é transformar o equipamento em arte. "Vai ser um monumento da vida feito por ferramentas de matar".O Secretário de Segurança Pública disse que o governo do Estado pretende promover um concurso público para artistas plásticos para que seja escolhido um projeto para o monumento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.