Rio vive mais um dia de tensão com operações contra o tráfico

Intensos tiroteios entre policiais e bandidos na zona norte assustam população; 6 corpos são achados em favela

estadao.com.br,

23 de outubro de 2009 | 17h27

Taxista e passageiros se protegem durante tiroteio na zona norte. Foto: Wilton Júnior/AE

 

RIO - A população do Rio de Janeiro viveu nesta sexta-feira, 23, mais um dia de tensão. Em meio a outro capítulo da guerra ao tráfico, seis corpos foram achados na Favela do Batan, zona oeste da cidade. Nos morros da zona norte, a Polícia Militar (PM) avançou com operações que provocam intensos tiroteios com bandidos. Pelo menos quatro moradores da Vila Cruzeiro ficaram feridos.

 

Veja também:

linkPiloto de helicóptero abatido pelo tráfico pede desculpas

link'Senti a pulsação no peito dele', diz integrante do AfroReggae

linkCompetição no mercado de drogas nutre violência no Rio, diz 'Economist'

linkRepórter do 'El País' diz que foi capturado em morro do Rio

mais imagens Blog: Imagens de uma guerra não tão particular

 

Agentes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e do 16.º Batalhão (Olaria) também estenderam a operação em Manguinhos e na Favela do Jacaré. O objetivo era procurar armas, drogas e o traficante Fabiano Atanázio, o FB, acusado de liderar a invasão ao Morro dos Macacos, em Vila Isabel, que iniciou a guerra do tráfico.

 

Menina busca abrigo atrás de viatura durante troca de tiros na zona norte. Foto: Wilton Júnior/AE

 

Dos corpos achados nesta sexta, dois estavam em uma lixeira e outros quatro em uma casa da comunidade. Eles foram localizados após uma denúncia, de acordo com policiais militares do 14.º Batalhão. Os corpos ainda não foram identificados.

 

Na Penha, uma bala perdida atingiu e provocou um incêndio em um apartamento, levando pânico aos moradores. O projétil foi disparado da Vila Cruzeiro, próximo da favela onde havia intensa troca de tiros entre traficantes e policiais. Três pessoas ficaram feridas e foram socorridas no Hospital Getúlio Vargas. Integrantes do 28º Grupamento do Corpo de Bombeiros tentavam, em meio aos disparos, apagar o fogo no imóvel.

 

Policiais avançam com operações nos morros da zona norte. Foto: Wilton Júnior/AE

 

No último sábado, traficantes do Comando Vermelho (CV) teriam tentado dominar o Morro dos Macacos para controlar o gerenciamento do tráfico, comandado pela facção Amigo dos Amigos (ADA). O episódio se agravou com a derrubada de um helicóptero da PM, que matou seis policiais. Desde então, o Rio está vivendo uma guerra que já causou a morte de mais de 36 pessoas, entre civis, policiais e traficantes.

 

Na quinta, dois homens que estariam envolvidos com a invasão ao morro também foram presos na Cidade Alta, em Cordovil. A polícia também prendeu cinco menores usuários de drogas. Foram apreendidos 223 trouxinhas de maconha, 362 sacolés de cocaína, 68 pedras de crack, 19 bolinhas de haxixe e uma pistola 765. A polícia ainda não divulgou os resultados da operações desta sexta.

 

(Com Pedro Dantas e Talita Figueiredo, de O Estado de S. Paulo)

 

Tudo o que sabemos sobre:
violênciaRioguerra ao tráfico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.