Rios sobem 13m e deixam 8,5 mil desabrigados no Pará

A cidade de Marabá, no sul do Pará, tece decretado o estado de calamidade pública, com 1.700 famílias, ou 8,5 mil pessoas, desalojadas de suas casas e acomodadas em 77 abrigos depois das enchentes dos rios Tocantins e Itacaiúnas, que ontem ultrapassaram a marca de 13 metros acima do nível normal.No total, em 12 municípios da região, o número de desabrigados é superior a 11 mil, levando as autoridades das áreas de saúde e planejamento a montar um esquema para transporte, acomodação e alimentação de novas famílias que não têm onde ficar porque suas casas estão inundadas até o telhado.Além do Exército, do Corpo de Bombeiros, da Policia Militar e da Defesa Civil, os desabrigados estão recebendo o apoio de entidades e movimentos sociais. "A situação é dramática, o resto do Brasil nem imagina o nosso grande sofrimento", disse chorando o agricultor Sebastião Antônio Ribeiro, 47 anos, pai de seis crianças.De acordo com previsões de técnicos das Centrais Elétricas do Norte (Eletronorte), que monitoram a vazão das águas do rio Tocantins na área do lago onde se localiza a hidrelétrica de Tucuruí, a 350 km de Marabá, as águas poderão chegar nos próximos dias a 13,31 metros acima do nível normal. As Polícias Civil e Militar reforçaram seus contingentes na parte baixa da Velha Marabá, para evitar saques às casas abandonadas pelos moradores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.