RJ: crianças jogam munição em fogueira e uma delas é baleada em São Gonçalo

Projétil ficou alojado a 1 centímetro da veia aorta; menino continua internado. em Icaraí

Ricardo Valota, do estadão.com.br,

11 de julho de 2012 | 05h23

SÃO PAULO - Uma brincadeira de um grupo com cerca de sete crianças quase terminou em tragédia, no início da noite de terça-feira, 10, no bairro de Itaúna, em São Gonçalo, região metropolitana do Rio. Em posse de quatro munições, um dos garotos, todos colegas de bairro, resolveu lançá-las em uma fogueira perto da qual eles brincavam. A pólvora de uma das balas explodiu e lançou o projétil contra Marcos Vinícius Rocha Vieira, de 11 anos.

 

"Não sei onde o coleguinha do meu filho conseguiu essas balas. Eles jogaram na fogueira e, como viram que nada aconteceu, chegaram perto. Naquele momento uma delas atingiu o meu filho.", relatou a dona de casa Fabielle Robeiro Rocha, de 27 anos, que morava no Rio e mudou-se recentemente para São Gonçalo.

 

Grávida de seis meses, a mãe, ao ser acionada por testemunhas, conseguiu um carro emprestado e levou o filho para a Clínica São Gonçalo, particular, onde os médicos tiveram que drenar o sangue que se acumulou em um dos pulmões do garoto. De lá, o menino foi transferido para o Hospital Icaraí, em Icaraí. Os pais do menino reclamaram bastante da demora do plano de saúde em conseguir um hospital com condições de o filho ser operado.

 

A bala, segundo o que os médicos disseram para a mãe de Vinícius, ficou alojada a um centímetro da veia aorta, a mais importante artéria do sistema circulatório do corpo e que se inicia no coração. "Ele (Vinícius) continua internado, está consciente e falando.", disse, aliviada, a mãe. A família da vítima registrou o caso na 72ª Delegacia, de São Gonçalo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.