RJ: pulseiras para identificar crianças perdidas

Para reduzir o grande número de crianças perdidas nas praias do Rio, a Prefeitura começou a entregar, no último fim de semana, pulseiras plásticas de identificação para as que freqüentam a orla da zona sul, nos fins de semana. Trinta guardas municipais fazem a distribuição das pulseiras impermeáveis, que não arrebentam e são difíceis de serem removidas pelas crianças. Só no mês passado 360 crianças se perderam nas praias, segundo a Guarda Municipal.As pulseiras de identificação trazem o nome dos meninos e meninas, um telefone para contato - celular ou convencional - e o endereço do responsável. As crianças só recebem a identificação se os pais autorizarem. No último fim de semana, 150 pulseiras foram distribuídas, mas a Guarda Municipal não contabilizou o número dos perdidos devolvidos aos pais por causa das pulseirinhas.A distribuição começou porque o trabalho dos guardas municipais do Grupo Especial de Praia - coibir pequenos furtos, impedir animais na areia das praias - ficava prejudicado pelo excesso de crianças perdidas. Os guardas precisavam encaminhá-las ao Juizado de Menores e acabavam abandonando os postos.Para evitar o transtorno, a Guarda Municipal fez um convênio com a Fundação para a Infância e Adolescência (FIA) e os meninos perdidos são levados para quatro postos da fundação nas praias (um no Flamengo, três em Copacabana). O serviço será ampliado durante o carnaval.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.