RJ, SP e MS lançam campanha contra a exploração sexual

Objetivo da iniciativa é reprimir a exploração e o abuso sexual de crianças e adolescentes durante o carnaval

30 de janeiro de 2008 | 16h03

Rio de Janeiro, São Paulo e Corumbá (MS) lançam nesta semana a Campanha do Enfrentamento à Violência Sexual contra crianças e adolescentes durante o carnaval. A sociedade civil do Rio e os governos se reúnem nesta quarta-feira, 30, na ponte Rio-Niterói, onde haverá uma blitz educativa. A campanha, promovida pela Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República (SEDH/PR) em parceria com os governos municipais, tem como objetivo reprimir a exploração e o abuso sexual de crianças e adolescentes durante o carnaval, divulgando o Disque 100 para denúncias.   Com o slogan "Sexo só se for Legal - Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes é Crime", cinco outras cidades - Fortaleza, Porto Alegre, Manaus, Salvador e Recife - já fizeram o lançamento da campanha desde o último sábado, 26. Na quinta-feira, 31, haverá outros dois lançamentos - em São Paulo, às 12h no Auditório da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social de São Paulo, e em Corumbá, às 20h, no Corumbaense Futebol Clube.   De acordo com a subsecretária de Promoção dos Direitos da Criança e do Adolescente, Carmen Oliveira, as cidades foram escolhidas por serem as que recebem o maior fluxo de turistas durante o Carnaval. "O problema mais sério neste período é o imaginário de muitas pessoas que tudo é permitido. Com isso, as pessoas acabam não denunciando para o Disque 100 situações de exploração e turismo sexual", afirma Carmen.   No lançamento da campanha no Rio, os veículos serão parados, receberão material educativo e serão convidados a conhecer o ônibus de educação da Polícia Rodoviária Federal. As pessoas que aceitarem receberão brindes, como testes de bafômetro descartáveis, abanadores, fitinhas de pulso e preservativos.   As denúncias de abuso ou exploração sexual de crianças e adolescentes podem ser feitas no conselho tutelar mais próximo, ou para o Disque Denúncia Nacional - 100, um serviço de utilidade pública coordenado pela SEDH/PR, em parceria com a Petrobras e o Centro de Referência, Estudos e Ações sobre Crianças e Adolescentes (Cecria), que recebe e encaminha denúncias de violências contra crianças e adolescentes. A ligação é gratuita e o usuário não precisa se identificar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.