Rocinha será vigiada por 900 policiais

A Polícia Militar vai usar 900 homens divididos em três turnos (300 a cada 8 horas) para ocupar o morro da Rocinha, a avenida Niemeyer, que contorna a favela do Vidigal, e a estrada Lagoa-Barra, por tempo indeterminado, a partir desta segunda-feira. A decisão foi tomada após numa reunião realizada neste sábado entre o secretário de Segurança Pública, Anthony Garotinho, e a cúpula da polícia estadual para discutir medidas contra a guerra entre traficantes rivais que deixou pelo menos sete mortos e apavorou os moradores. O comandante-geral da PM, Renato Hottz, informou que a ocupação ocorrerá até que a "paz seja totalmente restabelecida naquela região?.Hottz garantiu que a polícia já tinha informações de que poderia haver um conflito entre traficantes e afirmou que ?a operação de sexta-feira foi proveitosíssima, porque vários bondes estavam organizados para se juntar ao grupo que tinha a intenção de tomar a Rocinha e vários deles foram interceptados?. O comandante informou que a situação está controlada na região da Rocinha e do Vidigal. ?Nós temos o controle daquela área. Se vocês me perguntarem se pode haver tiroteio, pode, porque se existir traficante ainda escondido por lá certamente vai encontrar a nossa tropa e poderá ocorrer um tiroteio?, disse.Hoje foram enterrados quatro vítimas dos confrontos, dentre eles os policiais militares Marcelo Rolim e Luiz Cláudio Ramos. Também foram sepultados Fabiana dos Santos Oliveira e a mineira Telma Veloso Pinto, em Belo Horizonte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.