AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Rodízio em São Paulo deve manter-se em julho

São Paulo pode mais uma vez conviver com o rodízio de veículos nas férias escolares. A Secretaria dos Transportes e a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) estudam manter a restrição em julho, quando normalmente o número de carros em circulação diminui.A intenção é reduzir ao máximo os índices de congestionamento. Nos últimos meses, a lentidão média tem superado a de 2000.O secretário Carlos Zarattini espera que a continuidade do rodízio em julho ajude os motoristas a ficar menos tempo no trânsito. "Existe uma sensação de lentidão que é muito grande." A impressão apontada por ele é traduzida em números pela CET.Até maio, a média no pico da manhã esteve sempre acima da registrada no ano passado. No período da tarde, os meses de janeiro e abril apresentaram um pequeno recuo, mas desde o início do ano as médias de lentidão só fazem crescer. Desde fevereiro, os números não baixam de 100 quilômetros .Por conta de tudo isso, a secretaria estuda mudanças na restrição à circulação. Zarattini afirma que não ouvirá a população sobre mudanças enquanto não puder oferecer saídas para quem tiver de dispor por menos tempo do carro.A Prefeitura tem encontrado dificuldade em estabelecer parcerias para projetos, como o que cria bolsões de estacionamento fora da área do centro expandido. A idéia é oferecer estacionamento onde os motoristas possam deixar os carros e ir para o trabalho em vans. As negociações com supermercados, porém, vão mal. Esses estabelecimentos são apontados como os que melhor se enquadrariam na proposta.A CET fez testes desde o início do ano, aumentando o número de placas proibidas de circular diariamente, o tempo de restrição e a área onde vigora o rodízio. A idéia de criar os bolsões de estacionamento descartaria a possibilidade de estender o rodízio para toda a cidade.Além disso, a experiência já havia sido realizada há dois anos e apontou que mudanças no tempo e na área surtiriam pouco efeito. A alteração com resultados mais significativos foi o aumento para quatro placas proibidas de circular por dia.Motoristas que circulam diariamente pela capital têm sentido no relógio o aumento dos índices de lentidão no trânsito. Para manter a pontualidade ao cumprir compromissos, alguns têm mudado os hábitos de vida para compensar o período maior nos carros."Estou acordando meia hora mais cedo", diz o médico Carlos Alberto Pereira, de 50 anos. Morador do Alto de Pinheiros na zona oeste, diz que no ano passado saía de casa às 6h30 rumo ao trabalho, na Vila Maria, zona norte. "Estou saindo mais cedo para chegar aos lugares."O comerciante Ronaldo Dalfabbro, de 36 anos, concorda. "O trânsito tem piorado com certeza." Seu trajeto cotidiano entre Pinheiros, na zona oeste, e o Real Parque, na zona sul, aumentou de 25 para 40 minutos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.