Rodoviários de Brasília entram em greve

Os rodoviários de Brasília entraram hoje em greve por reajuste salarial. Para atender 800 mil passageiros do sistema de transporte público, o governo do Distrito Federal acionou um esquema de emergência que incluiu a autorização para que vans e ônibus piratas circulassem livremente. A rodoviária central foi totalmente tomada por esses veículos. Mas a população sofreu no primeiro dia de paralisação.Oportunistas, os piratas aumentaram o valor da passagem de R$ 1,20 para 1,50 e de R$ 2,50 para R$ 3,50. Nas linhas para ascidades-satélites, eles cobraram até R$ 5 pela passagem."A máfia dos piratas está fazendo a festa", reclamou a dona de casa Maria Avelina da Silva, 51 anos. Moradora da Vila Planalto, um bairro localizado atrás do Palácio do Planalto, Maria só costuma utilizar ônibus do sistema oficial. Ela teve de pagar R$ 1,50 pela passagem. No transporte legalizado, paga R$ 1,20. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários de Brasília, João Osório Silva, disse que os dez mil filiados aderiram à paralisação. Ele explicou que os rodoviários reivindicam aumento salarial de 30%. Um motorista na capital recebe R$ 768, além de um vale de R$ 160 e uma cesta básica. Já um cobrador recebe um salário de R$ 401. "Há um mês estamos tentando acordo com as empresas, mas não conseguimos resposta", afirmou o sindicalista.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.