Rodovias federais em SC são liberadas após deslizamentos de terra

 Três rodovias federais que passam por Santa Catarina, a BR-101, BR-280 e BR-282, foram liberadas ao tráfego após interdições devido a queda de barreiras causadas pelas chuvas que atingem a região desde a última sexta-feira, 21.

Solange Spigliatti, da Central de Notícias ,

25 de janeiro de 2011 | 08h38

 

No fim da noite de ontem, os trechos obstruídos devido a escorregamentos nas encostas nas rodovias BR-101 e BR-280 foram totalmente liberados, segundo informações da Polícia Rodoviária Federal

 

Na BR-101, os pontos críticos estavam localizados no município de Palhoça (Morro dos Cavalos). Na noite de sábado, 22, a rodovia foi interditada na altura do km 232, devido a um escorregamento. Em 15 horas de trabalhos contínuos o tráfego foi liberado nas duas faixas, segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

 

Ainda na noite de sábado outro deslizamento impediu o tráfego na BR-282, no km 36, município de Águas Mornas. Durante a madrugada o material foi removido, possibilitando o restabelecimento do tráfego.

 

O tráfego sobre a ponte do Rio Pedra de Amolar, localizada no km 79 da BR-280, em Corupá, foi restabelecido com a conclusão dos trabalhos de recomposição do aterro na cabeceira da ponte. Entre os quilômetros 90 e 97, também em Corupá, novos deslizamentos ocorridos na madrugada desta segunda-feira, 24, obrigaram a interdição da rodovia para que as equipes do DNIT pudessem executar os serviços de remoção dos detritos.

 

Em Araquari, km 29,2, os serviços foram feitos para a recuperação de pista e acostamento e o aterro em rocha e o pavimento. Mais adiante, no km 29, próximo à cabeceira da ponte sobre o Rio Parati, são executadas as obras de um bueiro triplo, em concreto. Neste ponto, a previsão é que os trabalhos sejam concluídos até o final da manhã de quinta-feira, 27. Nos dois locais há desvio por via municipal para veículos pequenos. Veículos de carga devem aguardar a abertura do tráfego na rodovia federal para seguirem no trecho.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.