Rodovias federais registram mais acidentes e menos mortes

O número de mortos em acidentes nas rodovias federais brasileiras neste Carnaval caiu 16,89%. Segundo informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF), entre a zero hora da última sexta-feira e a meia-noite de terça, 123 pessoas morreram nas estradas federais, ante as 148 mortes registradas no Carnaval do ano passado. O número de acidentes, porém, cresceu 5,08% e chegou a 2.233 (foram 2.125 em 2005). A quantidade de feridos teve um ligeiro aumento, de 0,29%, passando de 1.395 em 2005 para 1.399 neste ano. A Polícia Rodoviária Federal também aplicou mais multas neste Carnaval: 33.911, contra as 33.577 do ano passado.Segundo a PRF, os Estados que tiveram os piores números foram Minas Gerais, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Em Minas, Estado que tem a maior malha rodoviária federal do País, foram registrados 411 acidentes, 9,89% a mais do que no Carnaval de 2005. O número de mortos subiu 10%, para 22, e o de feridos elevou-se em 12%, para 270. Em Santa Catarina, ocorreram 324 acidentes, o que representa aumento de 32,79% em comparação ao ano passado.A quantidade de mortos nas rodovias federais catarinenses subiu de 10 para 18. Já o número de feridos caiu 21,47%, para 139. No Rio Grande do Sul, 9 pessoas morreram nas rodovias federais neste feriado, contra 5 que tiveram acidentes fatais em 2005. Foram registrados no Estado 168 acidentes, 3% a mais do que no Carnaval do ano passado. O número de feridos caiu 26,7%, para 93.Os números de São Paulo são um pouco melhores. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, a quantidade de mortos caiu de seis, no Carnaval de 2005, para cinco neste ano. Porém, assim como aconteceu com o balanço nacional, o número de acidentes aumentou, passando de 134 em 2005 para 165 neste ano (alta de 23%). A quantidade de feridos cresceu 41%, de 51 para 72.A Polícia Rodoviária Federal destaca que nos fins de semana comuns o volume de tráfego nas estradas sobe cerca de 20%. Mas, em feriados como Natal, Ano Novo e Carnaval, o fluxo nas rodovias chega a crescer até 50%.Para PRF, maior fiscalização reduziu mortesA PRF atribui, principalmente, ao aperto na fiscalização a redução de quase 17% no número de mortes nas rodovias federais durante o Carnaval 2006. Segundo o inspetor Ricardo Torres, porta-voz da corporação, neste ano quase 10 mil policiais rodoviários estavam em operação durante o feriado, mil a mais do que no Carnaval de 2005. "Além disso, 36 novos radares foram instalados, controlando a velocidade em trechos mais perigosos", acrescentou.Segundo Torres, esse aumento está dentro da margem de erro com a qual a PRF trabalha. "Consideramos qualquer batida como acidente e, além disso, do ano passado para cá a frota nacional de veículos cresceu de 10% a 12% e o número de novos motoristas subiu cerca de 14%", explicou.A operação tapa-buracos, iniciada pelo governo federal no dia 9 de janeiro, também contribuiu para evitar que acidentes mais graves acontecessem, uma vez que os canteiros de obras nas estradas forçaram os motoristas a reduzir a velocidade.No tocante ao combate às drogas, a Polícia Rodoviária Federal apreendeu neste Carnaval pouco mais de 22 quilos de cocaína e 217 quilos de maconha nas rodovias brasileiras. Um caso que chamou a atenção dos policiais foi registrado no Paraná. No domingo de Carnaval, um motorista foi preso nas proximidades do município de Céu Azul carregando pouco mais de um quilo de crack em nádegas postiças.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.