Rodovias sujeitas a neblina vão ter ação especial em SP

As rodovias de São Paulo com pontos críticos causados pela formação de neblina serão alvos de uma ação especial, a partir deste mês, envolvendo o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), as polícias rodoviárias estadual e federal e as concessionárias do sistema viário. O fenômeno climático é a principal causa de um aumento de até 30% no número de acidentes nesta época. O inverno coincide com as férias de julho, quando sobe o movimento nas estradas. Muitas ocorrências envolvem vários veículos, como os engavetamentos, quase sempre com um número elevado de vítimas. As ações do DER serão desencadeadas no início da segunda quinzena de junho e vão se concentrar nas rodovias de acesso às regiões serranas e em trechos considerados críticos de outras estradas, como serras e baixadas. As rodovias SP-99 (Tamoios), SP-98 (Mogi-Bertioga), SP-123 (Campos do Jordão) e SP-125 (Oswaldo Cruz) terão operações especiais à noite durante a temporada. Além da instalação de painéis eletrônicos com mensagens variáveis e faixas, será feita a distribuição de folhetos orientando sobre os procedimentos em caso de neblina. A Polícia Rodoviária vai manter patrulhas permanentes nas rodovias que dão acesso a Campos do Jordão, principalmente a tortuosa rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro (SP-123). Deverá ser utilizada sinalização luminosa nos pontos mais críticos. Será ampliado o número de painéis eletrônicos nas rodovias Carvalho Pinto, Ayrton Senna e D. Pedro I. As estradas que levam ao circuito das malhas, no sul de Minas Gerais, como a SP-95, terão ações específicas para orientar os turistas. As concessionárias estão instalando sinalização especial nos pontos críticos das rodovias que administram, com placas refletivas e de orientação para baixa visibilidade. A Viaoeste, responsável pelo sistema Castelo Branco - Raposo Tavares, lançou na semana passada um novo modelo de sinalização para aumentar a segurança sob nevoeiro. A partir de um estudo encomendado ao Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da Universidade de São Paulo (USP), foram apontados os trechos em que a visão do motorista é mais prejudicada pela neblina. São três pontos na Raposo e dois na Castelo Branco. A sinalização especial para nevoeiro compreende placas nas cores verde lima-limão, tachinhas e balizadores na mesma cor. Além da sinalização especial, a Viaoeste está distribuindo, nas praças de pedágio do sistema, folhetos com orientações aos motoristas sobre como dirigir com segurança em condições de pouca visibilidade. A Centrovias desenvolveu e instalou sinalização que, em caso de nevoeiro, induz o motorista a reduzir a velocidade. O conjunto de placas, sinalização de solo e balizadores laterais, visíveis mesmo com neblina densa, foi instalado em 18 pontos críticos das rodovias Washington Luís e SP-255 (Bauru-Jaú). O modelo foi repassado a outras concessionárias. A Rodovia das Colinas instalou sinalização de neblina na SP-127, entre Rio Claro e Piracicaba, e a Autovias na SP-330 (Anhanguera), em trechos próximos de Ribeirão Preto. O Departamento Nacional de Infraestutura de Transportes (DNIT) adotou a sinalização para neblina nas principais rodovias federais que cortam o Estado de São Paulo. A Polícia Rodoviária Federal mantêm policiamento intensivo nos pontos críticos das rodovias Régis Bitencourt (BR-116), nos trechos da Serra do Cafezal, entre Juquitiba e Miracatu, e em Barra do Turvo, divisa com o Paraná, e Fernão Dias (BR-381), nos trechos de Mairiporã e Atibaia. A Via Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro, foi sinalizada pela concessionária Novadutra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.