'Rolezinho' não é crime, diz secretário de Segurança do Rio

Segundo Beltrame, a polícia não vai atuar de forma preventiva para impedir encontro marcado em shopping do Leblon no domingo

Luciana Nunes Leal, O Estado de S. Paulo

14 Janeiro 2014 | 15h31

RIO -  Ao comentar as ocupações de shoppings por grupos de jovens em São Paulo, o secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, afirmou que "rolezinho não é crime" e que a polícia não vai atuar de forma preventiva no encontro marcado para o próximo domingo no Shopping Leblon (zona sul), um dos mais sofisticados da cidade. "Em primeiro lugar, rolezinho não é crime. É um fato que se dá dentro de uma instituição privada. Não vamos tomar nenhuma atitude em relação a isso. Vamos ficar somente atentos e, se a polícia for demandada, vai atuar", afirmou. "Não consiste em crime nenhum, não vamos tomar nenhuma atitude preventiva nesse sentido".

O secretário disse não ter recebido nenhuma solicitação de reforço policial nos shoppings. "A mim cabe lutar pela segurança do Rio de Janeiro, que não é um processo fácil, mas não vejo crime nisso. Se por ventura vier a ocorrer uma incidência criminal a polícia vai atuar", insistiu.

Beltrame recebeu na manhã desta terça-feira, 14, a imagem peregrina de São Sebastião, padroeiro da cidade o Rio, levada pelo arcebispo do Rio de Janeiro, d. Orani Tempesta, nomeado cardeal pelo papa Francisco, no domingo, 12. Ele carregou a imagem até a secretaria, onde d. Orani presidiu uma rápida cerimônia religiosa. Bem-humorado, o secretário de Segurança disse que se sente um pouco cardeal. "Sempre recebemos aqui a imagem do santo padroeiro. Desta vez foi muito especial porque foi trazida por nosso cardeal. Todos nós cariocas nos sentimos um pouco cardeais, me permita Jesus Cristo dizer isso", brincou o gaúcho, que fez um pedido para a cidade: "Que todos nós tenhamos cada vez mais paz e que sejamos cada vez mais caridosos".

D. Orani participou nesta terça de mais um dia da Trezena de São Sebastião, que acontece entre 7 e 20 de janeiro, dia do santo. O arcebispo leva a imagem do padroeiro a vários pontos da cidades, passando por hospitais, igrejas, centros sociais, favelas, repartições públicas e escolas. Da Secretaria de Segurança, o novo cardeal seguiu para a prefeitura, onde se encontrou com o prefeito Eduardo Paes (PMDB). Na segunda-feira, 13, d. Orani esteve na Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo (zona oeste), onde, em 2011, 12 crianças foram mortas por um ex-aluno que fez vários disparos nas salas de aula.

Mais conteúdo sobre:
Rolezinho

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.