JOSE PATRICIO/ESTADÃO
JOSE PATRICIO/ESTADÃO

Romeiros que caminham pela Dutra preocupam a Igreja

Alckmin pede projeto à igreja para reduzir número de pessoas caminhando à margem da rodovia de maior movimento do país; ideia é evitar possíveis tragédias

GERSON MONTEIRO - ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S. Paulo

12 Outubro 2015 | 14h54

APARECIDA - O trânsito gerado pelos romeiros que caminham até Aparecida, no Vale do Paraíba, entre os meses de setembro e novembro, tem preocupado a direção do Santuário de Aparecida e o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin. A igreja não informa a quantidade de romeiros que chegam a Aparecida fazendo caminhada, mas admite que o número “aumentou muito” nos últimos anos.

Apesar do Santuário Nacional não ter projeto para criação de alguma espécie de “rodovia dos romeiros”, o momento tem exigido atenção da Igreja Católica, considerando que a região recebe um grande fluxo de peregrinos, tanto Aparecida quanto Guaratinguetá por ocasião dos devotos de Frei Galvão e Lorena que mantem na cidade uma grande comunidade católica.

“Poderíamos estudar com a Basílica alguns roteiros alternativos, trechos”, propôs o governador ao bispo auxiliar de Aparecida, d, Darci José Nicioli, que gostou da ideia.

Segundo Alckmin, no momento não há projeto do Governo do Estado para “esticar” a Rodovia Carvalho Pinto até Aparecida, que atualmente acaba em Taubaté, distante 40 Km do Santuário Nacional. Entretanto ele afirmou haver um estudo para que a rodovia cruze a Presidente Dutra para sair do trecho de serra e ir para a área de várzea permitindo o prolongamento até Cruzeiro, terminando no acesso a Minas Gerais.

Para garantir a segurança dos fieis, a “Operação Padroeira” da Polícia Militar envolveu mais de 500 policiais e 90 viaturas de apoio neste 12 de outubro em Aparecida, mais o serviço integrado das polícias Federal e Estadual. Somente hoje 160 mil fieis devem passar pelo Santuário Nacional.

Desde sábado (10) a reportagem do Estado acompanhou a movimentação dos peregrinos no sentido a Aparecida. Comparado a outros anos, é possível estimar o dobro de romeiros. Apesar da orientação constante da CCR Nova Dutra, concessionária responsável pela Rodovia Presidente Dutra, para que os devotos façam a caminhada no sentido contrário ao trânsito, muito ignoram a recomendação e seguem em direção ao fluxo de veículos. Na última sexta-feira (9), um acidente envolvendo um motociclista que caiu na rodovia deixou dois romeiros feridos.


Mais conteúdo sobre:
Aparecida religião feriado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.