Romenas são presas por furto em Sorocaba

Duas mulheres romenas estão presas na Cadeia Feminina de Votorantim, região de Sorocaba, acusadas de furto e estelionato. Elas praticamente não falam português e estão com os vistos de permanência vencidos. A Polícia Federal vai informar a embaixada da Romênia no Brasil para decidir se elas serão deportadas. As estrangeiras Esteria Covaci, de 22 anos, e Ctrpaci Daniele, de 30, foram detidas no centro de Sorocaba depois que o funcionário de uma loja as acusou de terem furtado roupas femininas. Em poder das mulheres havia também peças retiradas de outras lojas. Os policiais militares encontraram com as acusadas folhetos em que pediam ajuda para o tratamento de uma criança com leucemia. O delegado Carlos Lourenço Pereira de Souza acredita que o caso de doença foi forjado para obter dinheiro abusando da boa fé das pessoas. Já a PF vai investigar um possível esquema envolvendo a exploração de estrangeiros que permanecem ilegalmente no Brasil. A polícia teve dificuldade para ouvir a versão das mulheres, mas descobriu que elas estavam hospedadas em uma pensão de São Paulo. Elas emigraram por causa do desemprego na Romênia, país do leste europeu. As mulheres teriam sido levadas para Sorocaba por integrantes da quadrilha que explora estrangeiros, utilizando-os para arrecadar dinheiro ilegalmente. Segundo a PF, depois de muitos anos agindo na Capital, os grupos passaram a atuar também nas cidades de maior porte do interior, como Campinas, Sorocaba e São José dos Campos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.