Rosas de Ouro faz bom desfile e entra na disputa pelo título

A agremiação fez uma das apresentações mais bonitas e empolgantes da noite

Gustavo Miranda, do estadao.com.br, SÃO PAULO

02 de fevereiro de 2008 | 06h00

SÃO PAULO - Uma das escolas mais tradicionais do carnaval paulistano, a Rosas de Ouro despertou as memórias olfativas do público presente no desfile na madrugada deste sábado, no Sambódromo do Anhembi. O capricho deve garantir pontos à escola, que veio com fantasias e carros alegóricos muito bem acabados. A agremiação fez uma das apresentações mais bonitas e empolgantes da noite e certamente brigará pelo título.

forum Qual escola será campeã em SP?

Com o samba-enredo 'Rosaessência - O Eterno Aroma', a escola fundada na Brasilândia, na zona norte da cidade, contou o lugar que as diferentes fragrâncias tiveram na história e, numa jogada de marketing, lançou uma marca de perfume em pleno desfile. Tudo para tentar quebrar o jejum de 13 anos sem título no carnaval paulista. A Rosas de Ouro foi a sexta colocada no ano passado, graças a problemas na evolução.

A fragrância foi criada pela Symrise, empresa especializada no desenvolvimento de produtos químicos para as indústrias de higiene, limpeza, alimentos e bebidas. Esta não foi a primeira vez que a escola usa um efeito olfativo no desfile. Em 1978, quando era destaque de chão, a escola usou um spray para espirrar perfume pela avenida durante o desfile. Mas as semelhanças param por aí: nem a fragrância era exclusiva, nem o perfume era tão essencial para a apresentação quanto em 2008.

Este ano, a história do perfume foi contada com a participação de 3.800 componentes, divididos em 24 alas e quatro setores. O primeiro setor falou sobre a Idade Antiga e a paixão dos romanos pelo perfume. A primeira alegoria da escola retratou a Paixão de Cristo. O segundo carro alegórico homenageou as rosas do Império Romano. A agremiação também contou a proibição das fragrâncias na Idade Média, o uso dos frascos pelos alquimistas, fez uma referência a Napoleão, que amava os perfumes, e à Família Real, que trouxe as fragrâncias de Portugal para o Brasil.

Um dos destaques da agremiação foi a atriz e modelo Ellen Roche, rainha da Bateria. Outros destaques são a Miss Brasil Mundo, Regiane Andrade, no papel de Cleópatra, e a drag queen Salete Campari encenando Carlota Joaquina, a esposa do rei de Portugal, D. João VI, na época do Brasil colônia. A missão de animar a passagem dos 3.800 integrantes pela avenida foi de Darlan Alves Carneiro, puxador da Rosas de Ouro há quatro anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.