Rosinha diz que minas prova que polícia está agindo

A governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Garotinho, disse hoje que o encontro de minas terrestres e granadas na favela Coréia, na zona oeste do Rio de Janeiro, é "prova que a polícia está nas ruas". Mas não perdeu a oportunidade de criticar o governo federal."É preciso cercar as fronteiras, não permitir que tantas armas entrem, não permitir que tantas drogas entrem, porque aí as polícias dos Estados teriam condições de desarmar", afirmou em Curitiba, onde participou de reunião com os governadores do PMDB. Segundo ela, nunca se desarmou tanto no Rio de Janeiro quanto no governo de Anthony Garotinho, seu marido e atualsecretário de Segurança Pública, e no dela. "Mas as armas continuam entrando, em razão da facilidade que existe pelas rodovias federais, pelos portos e aeroportos, que são obrigação do governo federal", criticou. "A Polícia Militar não pode tomar conta dessas áreas." Segundo ela, o governo federal precisa ter "bom senso" para cumprir a legislação. Ela sugeriu, entre outros itens, a construção de presídios federais, a fiscalização das fronteiras e o investimento em segurança pública, com repasse de recursos de acordo com o número de habitantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.