Rosinha diz que pôs na Segurança o que tem de mais importante na vida

A governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Matheus, afirmou que pôs à frente da secretaria de Segurança Pública o que tem ?de mais importante na vida?, referindo-se a seu marido, o ex-governador Anthony Garotinho, que, na próxima segunda-feira, assumirá o cargo a convite da governadora. O coronel da Polícia Militar Josias Quintal, que deixa o posto de secretário de Segurança Pública, assumirá o mandato de deputado federal pelo PSB. Josias Quintal obteve mais de 118 mil votos nas últimas eleições.Garotinho, porém, disse que o convite da mulher para ele assumir a pasta foi feito logo que Rosinha se elegeu, em outubro passado, mas só foi aceito agora porque o Estado vive um momento crítico em função do recrudescimento das ações dos traficantes de drogas.?Talvez, para um político que vem obtendo tantos êxitos eleitorais, este não fosse o melhor momento para assumir. Mas às vezes na vida temos de optar entre o compromisso com a população e os nossos desejos pessoais. Eu não poderia deixar de assumir com toda a disposição, com todos os riscos, conhecendo o assunto segurança pública como conheço?, afirmou o ex-governador.Garotinho anunciou a intensificação do combate à corrupção policial, assim como o cerco aos traficantes de drogas. ?Bandido vai ser tratado como bandido e policial que agir fora da lei também.? O ex-governador pretende investir na prevenção; na modernização das polícias e nos profissionais; e na reorganização das delegacias especializadas.O ex-governador culpou a atual ministra da Assistência e Promoção Social, Benedita da Silva (PT), que o sucedeu, pelo agravamento da situação da segurança no Rio em conseqüência da interrupção da política que ele vinha aplicando. Garotinho disse que, em seu governo, os registros das incidências criminais baixaram ? Benedita, no entanto, o acusou de maquiar os números.Garotinho disse que não haverá mudança na cúpula da segurança, mas informou que o superintendente da Polícia Federal do Rio, Marcelo Itagiba, que será substituído em breve, poderá ganhar um cargo na secretaria.Na semana passada, a governadora dissera que as ações prometidas pelo governo federal para o combate à violência ficaram só no papel e a única contribuição real tem sido de Itagiba, ?por seu esforço pessoal?.Veja o especial:

Agencia Estado,

23 de abril de 2003 | 19h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.