Rosinha quer definir datas para ações contra a violência

A governadora Rosinha Matheus (PSB) quer que o governo federal estabeleça datas para o início das ações acertadas na reunião de hoje em Brasília. Ela pediu ao secretário de Segurança Pública, coronel Josias Quintal, que cobrasse do diretor geral da Polícia Federal, Paulo Lacerda, o patrulhamento das baías de Guanabara, Sepetiba e Angra - por onde entrariam drogas e armas que abastecem os traficantes.Rosinha quer ainda que a Polícia Rodoviária Federal intensifique já as ações nas divisas do Rio. A governadora disse também que espera que a lei que proíbe a venda de armas seja aprovada. Ela concordou com a afirmação do chefe de Polícia Civil, Álvaro Lins, que declarou ontem que o valor prometido pela União para ajudar no combate ao crime organizado no Estado - R$ 40 milhões - é pouco. "Mas, se vier, já é bem-vindo", disse Rosinha. CrimeHoje de manhã, Alexandre Gomes, de 25 anos, e um homem não identificado foram assassinados em um vagão de trem, na altura de Queimados, Baixada Fluminense. Segundo o Batalhão Ferroviário da Polícia Militar, o maquinista seguia de Japeri em direção a Queimados, quando ouviu os disparos e parou o trem para verificar. A polícia ainda não tem pistas de quem cometeu o assassinato, mas acredita em execução.A Supervia, empresa que opera as linhas do trem, informou que o fato ocorreu por volta de 5h e que o vagão estava cheio. Nenhum passageiro quis relatar o que viu. Segundo a empresa, o trem foi desviado para ser periciado e as linhas circularam normalmente durante o dia. Veja o especial:

Agencia Estado,

20 de março de 2003 | 16h36

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.