Rota mata três ladrões durante perseguição

Minutos depois de assaltarem um pequeno mercado no Jardim João XXIII, na zona Oeste da capital, sexta-feira à noite, e fugir numa caminhonete do proprietário do estabelecimento, três marginais foram perseguidos por patrulheiros da Rota 91351. Alguns metros adiante, o veículo entrou na Rua Padre Jacome de Queiroz, uma via sem saída, que termina num barranco, em uma favela. Na tentativa de fuga, houve tiroteio e o três foram baleados. Chegaram mortos ao serem socorridos no PS do Hospital Bandeirantes.Após a identificação dos mortos - os irmãos Carlos André de Jesus Silva, Edmilson de Jesus Reis e Patrick de Jesus Silva -, a polícia apurou que outros três irmãos deles encontram-se presos. Segundo os funcionários do mercadinho, esta era a quarta vez que assaltavam o estabelecimento, em seis meses.Quando os ladrões chegaram ao Mercadinho Adat, na Rua Padre Juan de Solorzano, 185, havia cerca de 50 pessoas fazendo compras. Primero misturaram-se aos demais clientes e depois, separados dominaram as operadores de caixa Raimunda Rodrigues Muniz, de 16 anos, e Luciana Pereira Dias, de 26, e o gerente Marcos Donizete Nani, de 27. Aparentando estar sob o efeito de drogas, um deles entrou cantando o samba gravado por Zeca Pagodinho, cujo refrão é "Deixe a vida me levar... vida leva eu!". Aproximou-se de Raimunda, que trabalha ali há apenas uma semana, e a ameaçou com um revólver, ordenou que lhe entregasse o dinheiro. Revesando-se entre a cantoria e gritos nervosos, o marginal forçou a garota a abrir uma caixa, que fica sob a gaveta, onde ficam as quantias maiores. Mas não tinha nada, já havia realizado a "sangria"- retirada de valores -, o que o desestabilizou emocionalmente ainda mais.Os três irmãos conseguiram arrecadar apenas R$ 400. Na fuga levaram a picape Ford Pampa vermelha de placa CBI-8967, de Carlos Roberto Adat, que estava no estacionamento. Edmilson foi dirigindo, com Carlos André ao lado, e Patrick ficou na cassamba. Segundo os patrulheiros, que passaram logo em seguida e foram avisados pelo gerente de que havia ocorrido o assalto, o rapaz da cassamba atirou várias vezes contra a guarnição, antes que houvesse o revide.Donizete os reconheceu como sendo os mesmos que já havia assaltado o mercadinho em outras três oportunidades. Numa dessas, um deles atirou e o feriu de raspão no braço. O delegado de plantão do 75º DP Jardim Arpoador instaurou inquérito de roubo e resistência seguida de morte. Foram apreendidos com os marginais uma pistola 9 mm, outra .40, roubada de um policial civil do 32º DP Itaquera, e dois revólveres de calibre 38, um dos quais roubado de um PM.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.