Rota mata três suspeitos

Três ladrões foram mortos pela Rota após roubarem uma picape S10, nesta quarta-feira à noite, no Jardim Carmo, na zona leste. Segundo os policiais, os criminosos renderam uma família e chegaram a apontar a arma para a cabeça de uma criança de 3 meses de idade. Por volta das 21h30, a cabeleireira Maria Zelma Moraes da Silva Delgado, de 40 anos, passava de carro pela Avenida Marechal Tito e parou em um semáforo. Neste instante, os ladrões pularam na frente do veículo. "É um assalto, não reage, senão a gente atira", ameaçou um dos assaltantes. Os três estavam armados. A filha da cabeleireira, a estudante Fernanda Silva Aquino, de 15 anos, que estava sentada no banco do passageiro, abriu a porta e desceu. Os bandidos já se preparavam para entrar no carro quando perceberam que havia um casal sentado no banco traseiro. Era a irmã de Zelma, a dona de casa Maria Nelma da Silva Barros, 36 anos, o marido, o autônomo Paulo Leão de Barros, de 34, e o filho do casal. Os assaltantes apontararam a arma para a criança e ordenaram que o casal descesse rapidamente. "Não tive medo, só queria ver o meu filho fora do carro o mais rápido", contou o autônomo. Em seguida eles fugiram, mas foram notados por policiais da Rota que faziam patrulhamento pela avenida. Os PMs pediram para que os bandidos parassem a picape, mas eles não obedeceram. A perseguição só terminou na Rua Piracatinga, onde os ladrões começaram a atirar. No tiroteio, os três foram atingidos e largaram as armas. Os PMs levaram os ladrões a um pronto-socorro, mas dois deles morreram antes de chegar ao Hospital Santa Marcelina. Somente o adolescente Cleiton Tibúrcio, de 17 anos, chegou ainda com vida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Os outros assaltantes estavam sem documento e não foram identificados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.