Rota pega carro emprestado para continuar perseguição

"A Rota roubou meu carro", afirmou o Marcelo Maldonado Gasparini, ao se apresentar ao delegado de plantão do 34º DP Vila Sônia. Segundo ele, os PMs da Rota 91148 o arrancaram abruptamente de seu veículo, na Rua Deputado Jacob Salvador Zveibil, no Jardim Caxingui, zona Sul, para perseguir um carro roubado. As viatura havia quebrado, mas ao conseguir fazê-la funcionar, eles abandonaram Marcelo ali, sem qualquer orientação. Para o delegado Denis Almeida Chiratto, houve abuso de poder.Tudo começou com ocorrência, por volta das 22h00, quando o auto Palio do comerciante Renan Marcel Perrotti, de 20 anos, foi abordado por uma perua Kombi, ocupada por seis homens. Dois desceram e armados entraram no veículo, levando com eles o jovem que foi abandonado no Jardim Taboão.Mais tarde, a Rota cruzou com esse veículo na Av. Eliseu de Almeida e iniciou a perseguição. Na Rua Deputado Jacob Zveibil, porém, a viatura teve uma avaria e parou. Foi quando os PMs avistaram Marcelo que também dirigia um Palio. Abrindo a porta e o arrancaram do veículo, afirmando que precisavam dele para continuar a perseguição. Pouco depois, a viatura voltou a funcionar e o motorista partiu com ela sem dar qualquer explicação a Marcelo.Orientado por telefone pelo pai, foi à delegacia e contou o ocorrido. Já na madrugada, os patrulheiros chegaram naquele DP com os dois Palios. Disseram que o carro roubado foi abandonado na Av. João Jorge Saad e que seus ocupantes conseguiram fugir. Ao avistarem Marcelo, simplesmente lhe entregaram a chave de seu auto e o mandaram embora. Mas o delegado Chiratto interveio, pedindo ao jovem que permanecesse, pois iria instaurar inquérito de "abuso de poder" e que ele, como parte, deverá representar contra os PMs.Os policiais foram supreendidos pela decisão do delegado e acionaram o próprio comando, que considerou "normal" a atitude dos PMs.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.