RS começa monitoramento de presos com tornozeleiras na terça

O aparelho funciona com sinal GSM (igual à usada em celulares e de radiofrequência) e a cada minuto emite um sinal que possibilitará a localização dos presos

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

18 de junho de 2010 | 11h14

SÃO PAULO - O governo do Rio Grande do Sul vai iniciar na próxima terça-feira, 22, o monitoramento de 15 presos do regime aberto por tornozeleiras eletrônicas, pelo período de 30 dias, segundo a Secretaria de Segurança Pública.

 

Eles cumprem a condenação nos institutos penais de Viamão e Irmão Miguel Dario, em Porto Alegre, e não são considerados violentos. Um dos objetivos é mantê-los longe da criminalidade e da massa carcerária, segundo o governo.

 

O aparelho funciona com sinal GSM (igual à usada em celulares e de radiofrequência) e a cada minuto emite um sinal que possibilitará a localização dos presos. Sua bateria dura entre 24 e 48 horas. Quando faltarem sete horas para terminar a carga, o equipamento emitirá um sinal. O tempo médio de recarga é de uma hora.

 

Apenas este ano, mil aparelhos deverão entrar em funcionamento no Rio Grande do Sul. Outras mil tornozeleiras serão colocadas anualmente até 2014. No total, serão implementados 5 mil equipamentos. Cada agente da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) poderá monitorar entre 250 e 300 presos.

Tudo o que sabemos sobre:
Rio Grande do Sulmonitoramentopresos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.