RS tem 47 municípios em situação de emergência por estiagem

As chuvas intensas e bem distribuídas do final de outono e começo de inverno não foram suficientes para resolver os problemas dos 47 municípios do Rio Grande do Sul que estão em situação de emergência por causa da estiagem. A umidade voltou à superfície do solo, revigorando as pastagens, mas o déficit hídrico nos mananciais persiste. As zonas urbanas de Alegria, no oeste; Bom Jesus, no norte; Bagé e Candiota, no sul; e Esperança do Sul e Trindade do Sul, no norte do Estado, continuam sob racionamento de água.Ao contrário dos dois anos anteriores, quando o Estado do Rio Grande do Sul enfrentou estiagens generalizadas de janeiro a abril, desta vez a falta de chuva ficou restrita a zonas isoladas. Na metade sul, a área mais afetada é próxima à fronteira com o Uruguai e inclui os municípios de Bagé e Candiota. Na metade norte, os municípios de Barra do Rio Azul e Aratiba, na divisa com Santa Catarina, também sofrem com a falta de água.Em Cachoeira de Sul, no centro do Estado, metade dos agricultores, beneficiados por chuvas, colheram uma safra normal. A outra metade, afetada pela estiagem, perdeu grande parte das lavouras de soja, milho e feijão.Desde dezembro do ano passado 81 municípios gaúchos decretaram situação de emergência. Nesta quinta-feira, 47 decretos ainda estavam em vigor. Além das chuvas recentes e das previsões que indicam precipitações próximas da normalidade para os próximos meses, há um indicativo estatístico de que o pior já passou. Dos 81 decretos, oito foram assinados em maio e apenas um em junho. Desde que a prefeitura de Maçambara recorreu ao decreto, no dia 5, nenhuma outra precisou fazer o mesmo.

Agencia Estado,

22 de junho de 2006 | 19h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.