Rua Turiaçu terá vagas de Zona Azul

Novas regras valerão em trecho de 1 km; CET não divulgou data de início

Naiana Oscar, O Estadao de S.Paulo

28 de maio de 2009 | 00h00

O trecho de um quilômetro de estacionamento liberado na Rua Turiaçu, na zona oeste de São Paulo, vai receber vagas de Zona Azul. A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) diz que o objetivo é melhorar a fluidez do trânsito na via. Ainda não há data para as regras entrarem em vigor, mas as faixas que delimitam as vagas já estão pintadas há uma semana. Falta instalar as placas.No total, serão 82 vagas para automóveis, além de três bolsões para motocicletas e três vagas para pessoas com deficiência. Da Avenida Sumaré até a Rua Ministro Godoi, o estacionamento passa a ser regulamentado no lado par da Rua Turiaçu. Na faixa oposta, já era proibido estacionar e continuará sendo. No trecho entre as Ruas Ministro Godoi e Monte Alegre, a Zona Azul será implementada dos dois lados. Os cinco estacionamentos particulares da rua cobram em média R$ 6 pela primeira hora. "Pior para mim, melhor para os clientes", disse o gerente de uma ótica Valter Oliveira Frederico, de 52 anos. Ele está acostumado a deixar o carro na frente do estabelecimento, mas admite que a rotatividade vai facilitar a vida de quem compra nas lojas da rua. RECLAMAÇÕESA maioria dos comerciantes da região, no entanto, não gostou da mudança. Eles reclamam principalmente da dificuldade para descarregar mercadoria. A empresária Sueli Benedita Benevento, de 49 anos, está montando um showroom de vidraçaria e não sabe como vai fazer quando os motoristas começarem a parar na sua porta. "Vou ter de parar o trânsito para atravessar chapas enormes de vidro." Ela e outros comerciantes já entraram em contato com a CET pedindo mudanças na localização das vagas. "Disseram que iam nos mandar um engenheiro para avaliar a possibilidade", afirmou. Uma das vagas também dificulta a entrada e saída de veículos da garagem de um prédio residencial. A Companhia de Engenharia de Tráfego não comentou as reclamações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.