Rua vira uma garagem para Mercedes 1967

Dono alega que bomba ''explodiu''

Felipe Oda, O Estadao de S.Paulo

02 Julho 2009 | 00h00

O Mercedes-Benz 230S vinho parado na Rua Barão do Bananal, na Pompeia, zona oeste da capital paulista, parece ser mais um caso de abandono. No local onde está estacionado, há pelo menos dois anos, já nasceu até grama no asfalto. No entanto, o veículo tem dono - e conhecido nas imediações. O advogado Wilson de Araújo Abreu afirma que o modelo 1967 apenas está parado por problemas de manutenção. "Explodiu uma bomba do carro e não encontro a peça." Já a opção por mantê-lo na rua, Abreu diz que é econômica. "Um estacionamento da região quis me cobrar R$ 4 mil por ano somente pela vaga na garagem." Para evitar problemas com a vizinhança e a Prefeitura, o advogado diz, às vezes, mudar o local de parada do carro. "Só quando o pessoal reclama muito", diz João Gonçalves de Oliveira Filho, de 71 anos, amigo e mecânico de Abreu. "Não estou cometendo nenhuma infração. A rua é pública", afirma o advogado. Abreu comprou o Mercedes há 20 anos de um cliente restaurador e colecionador de "carros finos" e pagou cerca de R$ 30 mil. "Ele tinha problemas com credores, queria resolvê-los e voltar para a Alemanha." Hoje, ele não sabe quanto o carro vale. "Já recebi inúmeras propostas e aprendi que não se deve recusá-las. Mas, por enquanto, ninguém ofereceu nada concreto."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.