Ruas de Pinheiros estão à beira da saturação

Estudo da Subprefeitura alerta também para a queda da velocidade no Itaim e nos Jardins

Naiana Oscar, O Estadao de S.Paulo

18 de dezembro de 2008 | 00h00

Se o ritmo de lançamentos imobiliários continuar o mesmo em Pinheiros, Jardins e Itaim-Bibi, daqui a três anos os motoristas que circulam por esses bairros conseguirão desenvolver em horários de pico a velocidade média de um ciclista. Um estudo da Subprefeitura de Pinheiros, concluído recentemente, mostra que vias importantes da região, já saturadas, apresentarão reduções de até 15% na velocidade média. É o caso, por exemplo, da Avenida Santo Amaro, onde hoje os carros chegam a 30 km/h de manhã, mas em 2011 vão penar para ultrapassar os 25 km/h.A pesquisa aponta como vilões do tráfego os grandes empreendimentos imobiliários, chamados de pólos geradores. Na área da subprefeitura, são 124 - entre shoppings e edifícios de escritórios. Nesses imóveis foram criadas 38.807 vagas de estacionamento em oito anos. "Quanto mais vagas, mais motoristas se deslocam até elas", diz Adriana de Carvalho, técnica da subprefeitura.A administradora de empresas Mariana Lima, de 34 anos, há dois meses levou 40 minutos para sair do prédio onde mora, na Rua Helena. Perdeu uma reunião e voltou para casa. "Um trajeto que faço em 17 minutos a pé, levo 1h30 de carro." E vai piorar. "Do lado da Daslu vão inaugurar mais dois shoppings. Como essa gente vai chegar lá? Na minha rua não cabe."Entre as medidas apontadas, está uma análise mais rigorosa da Secretaria Municipal de Transportes em relação aos pólos geradores. Para que os projetos sejam aprovados, precisam antes ser avaliados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). O órgão estabelece recomendações. "Essa análise é pontual, casuística e peca por não entender a cidade como sistema", afirma a professora de Urbanismo da USP Silvana Zione. A sugestão da subprefeitura é que o impacto desses imóveis seja feito em conjunto.Bares e restaurantes, numerosos na Vila Olímpia, não são considerados pólos geradores - mais um empecilho apontado pelo estudo, uma vez que causam transtorno semelhante ao de um grande empreendimento. "Eles deveriam ganhar atenção especial", diz Adriana. Como solução, a técnica sugere até que os próximos projetos sejam aprovados sem vagas. Isso obrigaria os funcionários a usarem transporte público.O Itaim-Bibi concentra 60% do pólos geradores de tráfego na área da subprefeitura. "O que esperar se tiram cinco casas, com 10 carros, para pôr um prédio com 200 no lugar?", indaga o presidente da Associação Amigos do Itaim-Bibi, Marco Antônio Castello Branco. "Está próximo o dia que quem estiver fora não vai conseguir entrar e quem estiver dentro não vai conseguir sair."FARIA LIMAO número de vagas de estacionamento previstos pela Operação Urbana Faria Lima deve se esgotar em cinco anos, se o atual ritmo de construção se mantiver. Esse instrumento permite a edificação acima dos limites estabelecidos pela Lei de Zoneamento, desde que as empresas paguem. A Faria Lima já vendeu 80% dos metros adicionais que foram colocados à disposição pela Prefeitura desde 1995. Faltam ser negociados 800 mil metros quadrados. Como a exigência é de que para cada 35 metros quadrados seja criada uma vaga, esse estoque renderia 22 mil vagas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.