Sadok nega ter influência sobre os negócios

BRASÍLIA

, O Estado de S.Paulo

15 Julho 2011 | 00h00

O diretor executivo do Dnit, José Henrique Sadok de Sá, disse ontem ao Estado que não tem influência nos contratos fechados pela empresa de sua mulher, Ana Paula Batista de Araújo, com obras de rodovias federais. "Eu não tenho nada com a empresa dela. Não me meto em nada. Se a empresa for bem, que vá bem, ser for mal, que vá mal. Não tenho nada com isso", disse.

Sadok alega que a Construtora Araújo Ltda., da qual Ana Paula é dona, participa de concorrências públicas no governo de Roraima, o que impede que ele interfira em qualquer ação para favorecê-la. "As obras são de licitações legítimas no Estado. Ela não está ganhando porque eu sou o diretor executivo", afirmou. "Não vou poder proibir uma empresa de exercer o seu direito", disse.

Para ele, não há problema no fato de as obras serem vinculadas a convênios do Dnit. "Não vejo conflito de interesse. Quando cobro alguma coisa da obra, cobro do Estado, não da empresa", justificou. "Ela não tem nenhuma obra com o Dnit. Você quer quebrar a empresa? Não pode trabalhar?", questionou.

O diretor do Dnit contou que conhece Ana Paula desde 2001 e que vive com ela há cerca de quatro anos. "Não sou casado. É minha mulher hoje. É um relacionamento como todo mundo hoje tem. Já me separei cinco vezes, se bobear vou separar a sexta. O amor acaba", afirmou. "Agora estamos juntos, juntamos as escovinhas. Você vai mexer com minha vida particular."

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.