Sai amanhã decisão sobre rodízio de água em SP

O governo paulista deve anunciar amanhã se haverá ou não rodízio de água no Estado. A informação é do secretário de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento, Mauro Arce. "Continuamos avaliando a situação. Hoje, o reservatório do Sistema Alto Cotia caiu menos do que vinha caindo, 0,3%, ao invés de 0,4%. Faremos amanhã uma avaliação final e, provavelmente, vamos informá-la à imprensa", disse o secretário. "Amanhã sai uma palavra", completou Arce.O rodízio de água, caso seja confirmado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), deve começar pelo Sistema Alto Cotia e atingir 440 mil pessoas que residem nos municípios de Cotia, Embu, Embu-Guaçu, Vargem Grande Paulista e Itapecerica da Serra. Se seguir o esquema do rodízio anunciado dia 8 - o racionamento chegou a ser dado como certo mas foi adiado no último dia 13 (dois dias antes de entrar em vigor) -, as cinco cidades paulistas serão divididas em dois blocos, que se alternarão 36 horas com água por 36 horas sem água. "A decisão de adiar não foi tomada por conta da esperança em chuva, mas da água que estava no reservatório", reiterou hoje o secretário, após participar, no Palácio dos Bandeirantes, de missa de Ação de Graças pela recuperação do bispo de Duque de Caxias (RJ), Dom Mauro Morelli.O secretário de Energia, Recursos Hídricos e Saneamento reafirmou que a situação é "crítica" no reservatório Alto Cotia. Elogiou a redução no consumo no mês de outubro. Mas alertou que ela pode ser ainda muito maior. "Se cada um de nós raciocinarmos quando usamos a água, vamos perceber que existe grande chance de usar menos do que atualmente."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.