Salgueiro impressiona Sapucaí

Com um samba melodioso, fantasias luxuosas e bem acabadas e carros alegóricos de extremo bom gosto, a Acadêmicos do Salgueiro começou o desfile na Marquês de Sapucaí, às 23h50 desta segunda-feira, e entrou para a seleta lista dos favoritos ao título de 2007. Depois da pior colocação da história da escola em 2006, 11º lugar, o Salgueiro fez um desfile tecnicamente perfeito e empolgou o público. Após o último carro da vermelho e branco deixar a avenida, todos os presentes ficaram com uma certeza, o samba-enredo "Candaces", uma homenagem as antigas rainhas africanas que inspiram mulheres até hoje, será tocado novamente no desfile das campeãs do próximo sábado. Renato Lage e Marcia Lavia contaram a história de diversos impérios da África. O tema foi proposto pelo departamento cultural da escola depois que alguns componentes viram a peça teatral com o mesmo título do enredo. O desfile Um faraó com seus soldados abriram o caminho na avenida para a história das Candaces. Logo atrás vinham os dois responsáveis por 40 pontos da escola da Tijuca, o casal de mestre-sala e porta-bandeira. Ronaldinho e Gleice Simpatia esbanjaram habilidade com os pés. O carro abre-alas tinha uma grande feiticeira, que abençoava o resto do desfile. Do luminoso chão de acrílico saía uma árvore que soltava feitiçarias. A alegoria impressionava não só pelo tamanho, mas também pela beleza. A ala das baianas destacava-se pelo luxo e leveza das fantasias, que permitia o movimento das foliãs. A grandiosidade dos carros alegóricos também foi outro ponto forte da escola da zona norte do Rio, que tenta reeditar o sucesso do carnaval de 1993, quando conquistou o título pela última vez, com o enredo "Peguei um Ita no Norte". À frente da bateria, a escultural Gracyane Barbosa, dançarina do grupo Tchakabum. Ainda na concentração, ela comentou que se preparou bastante para o dia D. "Ingeri muito carboidrato e bebi muito líquido", disse. A seu lado, estava Luiza Duran, de oito anos, a princesa da bateria. A menina contava que já é veterana: desfila desde os quatro aninhos. Sabrina Sato, a ex-participante do Big Brother Brasil e destaque do programa "Pânico da TV", disse que, apesar de "japonesa e caipira", gosta de samba e carnaval. "Quero ser madrinha de bateria", candidatou-se. Dirigentes da Vermelho-e-Branco entraram na avenida com uma fita preta na lapela. Era sinal de luto pelo assassinato de Guaracy Falcão, vice-presidente executivo da agremiação. Falcão foi morto a tiros na semana passada na zona norte do Rio, junto com a mulher, Simone Moujarkian. Fim. Colaborou Clarissa Thomé

Agencia Estado,

20 Fevereiro 2007 | 01h30

Mais conteúdo sobre:
carnaval carnaval 2007

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.