Salgueiro levanta as arquibancadas com Carol Castro

A escola de samba Acadêmicos do Salgueiro entrou no sambóromo pontualmente às 21 horas, abrindo o desfile do Grupo Especial, com enredo Microcosmos, o que os olhos não vêem, o coração não sente, sobre os fenômenos invisíveis a olho nu. A comissão de frente, coreografada pelo primeiro bailarino do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, recriou o trabalho das aranhas tecendo teias e o abre-alas tinha um olho com o emblema da agremiação. A atriz Carol Castro, madrinha de bateria da escola tijucana, levantou as arquibancadas desde o momento em que pôs o pé na pista. O Salgueiro comemora meio século de carnaval, com 3.700 componentes e 27 alas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.