Salões se abrem para os bailes

Festas podem ter a informalidade paulistana, com marchinhas, ou a sofisticação do Copacabana Palace, no Rio

Valéria França, O Estadao de S.Paulo

12 Fevereiro 2009 | 00h00

É possível ainda se divertir à moda antiga, com direito a confetes, serpentinas e marchinhas de carnaval. No Rio, o endereço da folia mais aristocrática e nostálgica é o Copacabana Palace, que abriu as portas de seus salões pela primeira vez em 1924 e recebeu divas hollywoodianas inesquecíveis, como Ginger Rogers. O baile continua sendo a rigor. Em São Paulo, a novidade é que pela primeira vez o Bar Brahma, endereço clássico da antiga boemia paulistana, organiza uma festa nostálgica. "Resolvemos resgatar o baile de clube a pedido do público", diz Cairê Aoas, diretor do BBHouse, empresa organizadora do evento. Acompanhe as novidades no blog do carnavalNos últimos oito anos, os bailes do bar reproduziram em parte a festa do sambódromo, apresentando belas mulatas fantasiadas que requebravam com profissionalismo ao som da bateria de escolas de samba. "A casa resolveu diversificar, uma vez que já tem um camarote no sambódromo." Localizado na esquina das Avenidas Ipiranga e São João (tel.: 0xx11-3333- 0855), o bar terá bailes de sexta a terça-feira. O convite masculino sai por R$ 120 e o feminino, R$ 100.O bar ainda promove um esquenta em alto-mar, no Island Escape. O cruzeiro temático sai amanhã do Porto de Santos, litoral paulista, com destino a Búzios, no Estado do Rio, numa viagem curta de três noites. Haverá shows a bordo com figuras como Jair Rodrigues e Demônios da Garoa. Custa US$ 389 por pessoa, em cabine dupla.Em Pinheiros, zona oeste paulistana, o Bar Avenida investe pelo sétimo ano num carnaval familiar. "No palco, tocamos marchinhas e sambas imortais, como Barracão de Zinco", diz Ney Meirelles, da banda Koisa Nossa, que se apresenta nestes dias. "No início, os donos queriam pagode. Insistimos que deveríamos reviver a essência dos velhos carnavais. E deu certo." Neste ano, o bar homenageia José Costa, compositor com mais de 200 músicas de carnaval, entre elas, o Vira,Vira Vira,...Vira Vira Vira, Virou. São cinco noites de folia, com ingressos a R$ 45, homem, e R$ 30, mulher, com exceção de sexta-feira, quando os preços caem. Eles pagam R$ 25 e elas, R$ 20 (tel.: 0xx11-3814-7383).Conhecido reduto de charuteiros, o Havana Club, do Hotel Renaissance, nos Jardins, zona sul de São Paulo, promove no sábado de carnaval um baile de máscaras (R$ 45, ingresso individual). No dia, o ambiente perde um pouco da austeridade que lhe é comum com uma decoração típica de confetes e serpentinas. Quem resolver ficar para passar a noite paga uma diária mais barata, a partir de R$ 479. A tarifa balcão regular é de R$ 957 (tel.: 0xx11-3069- 2233).Próximo de São Paulo, o Casa Grande Hotel, no Guarujá, apresenta a bateria da Mocidade Alegre na festa marcada para segunda-feira de carnaval, que é fechada para os hóspedes. O pacote mínimo, de três dias, sai por R$ 1.613. Haverá também matinês, no domingo e na terça-feira, fora do hotel e aberto a todos, no Sirena. Ingressos a R$ 10, para crianças de 3 a 12 anos (tel.: 0xx11-3474-8600).GAVIÕES DA FIELO Spa Med de Sorocaba segue esquema parecido, acenando apenas aos hóspedes com um baile de máscaras animado pela bateria da Gaviões da Fiel, no sábado. A estada sai a partir de R$ 389,40 por pessoa. O pacote mínimo é de quatro dias (tel.: 0xx15-3237-9090).No Rio, o Copacabana Palace (tel.: 0xx21-2548-7070) conta com camarotes repletos de gringos, alguns famosos - caso dos atores Monica Bellucci e Jean-Claude Van Dame, que confirmaram presença. Neste ano, o tema do carnaval é a ópera, que inspira toda a decoração. "Reproduzi um mundo gótico, que evoca coisas dramáticas, mulheres incríveis como Maria Callas", diz Zeca Marquez, designer responsável pela decoração. "O salão será todo em preto e branco."Entre os convidados, há muitos paulistanos, caso da decoradora Bya Barros, que há três anos pega a ponte aérea para ir ao baile. Ela guarda em casa até os enfeites de cabeça - que as mulheres costumam usar na festa. "É um carnaval com champanhe francês e caviar", diz Bya. "Na entrada do hotel, um tapete vermelho é estendido para os convidados, como no Oscar." E assim cada um tem o direito a desfilar seu modelito. Alguns vão com fantasias especialmente elaboradas para a data. Os ingressos saem a partir de R$ 1 mil por pessoa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.