Samba sobre a riqueza paulistana não faz sucesso na avenida

Tom Maior passa pelo Sambódromo sem problemas aparentes, mas não levanta a arquibancada

Gustavo Miranda, do estadao.com.br, SÃO PAULO

02 de fevereiro de 2008 | 04h53

SÃO PAULO - Apesar da promessa de surpresas para levantar o público que compareceu na madrugada deste sábado no Sambódromo do Anhembi, em São Paulo, a Tom Maior teve que correr, no finzinho do desfile, para não se atrasar e comprometer sua pontuação. A escola apresentou a ascensão do poderio econômico do Estado de São Paulo. A Tom Maior passou pela avenida sem problemas aparentes, mas não levantou a arquibancada.

A idéia veio do carnavalesco, que adaptou o tema do espetáculo teatral 'Glória Paulista', que ele mesmo produziu. Depois, a comunidade da Tom Maior, nascida nos bairros de Pinheiros, Sumaré, Vila Madalena e Cerqueira César - todos da zona oeste da capital paulista -, elegeu o samba composto por Maradona, Amós, Claudinei, Tinga e Ricardo Ailton: 'Glória Paulista - São Paulo na Vanguarda da Economia'.

Poucos minutos antes de a escola entrar na avenida, a saia da integrante de uma ala caiu. A solução encontrada pela organização da escola, rapidamente, foi mandar as demais integrantes tirarem suas saias. Lucimara Parisi, produtora do Domingão do Faustão, foi um dos destaques da Tom Maior. A Mulher Samambaia, personagem do Pânico na TV, também desfilou pela agremiação. A dançarina e apresentadora Adriana Bombom Soares foi a rainha da bateria.

Embora tenha levado este ano para o Anhembi um desfile sobre a riqueza econômica do Estado, a Tom Maior passa longe de ter verba suficiente para dar tranqüilidade aos trabalhos ao longo do ano. A maior parte do dinheiro vem da prefeitura da capital paulista, seguido de direitos de transmissão do desfile pela televisão. Outra parte considerável é arrecadada pela venda das fantasias e pelos shows que a escola faz durante o ano.

A escola surgiu em 1973, como dissidência da Camisa Verde e Branco. Seu nome foi inspirado no samba ?Tom Maior?, do cantor e compositor Martinho da Vila. O melhor resultado da Tom Maior foi o oitavo lugar no carnaval do ano passado. No desfile, quem puxou o coro da escola e de seus 3.200 passistas - divididos em 23 alas e em cinco alegorias - foi René Sobral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.