Santa Catarina pede que Estados voltem a mandar doações

Na quarta, Defesa Civil pediu para que doações parassem momentaneamente por falta de espaço para guardá-las

Da Redação,

04 de dezembro de 2008 | 13h08

A Defesa Civil de Santa Catarina informou nesta quinta-feira, 4, que as doações às vítimas das enchentes devem continuar. Na quarta, o órgão havia pedido que os Estados parassem de mandar alimentos e roupas pois não havia mais espaço para armazenar o material. Agora, a Defesa Civil informou que vai usar as Secretarias de Desenvolvimento Regional para guardar o que for mandado às vítimas das chuvas.   Veja também: Saiba como ajudar as vítimas das chuvas  SC pede que Estados parem de mandar doações Mais de 30 mil voltam para casa em SC Ligação entre PR e SC continua interditada Saúde SC notifica 62 suspeitas de leptospirose Solo pode demorar 6 meses para estabilizar IML divulga lista de vítimas identificadas Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas       As secretarias do litoral sul e norte do Estado vão centralizar as doações recebidas. Além delas, também vão receber material de doação as cidades de Blumenau, Timbó, Brusque, Jaraguá do Sul e Itajaí. A demanda de produtos superou todas as expectativas 13 dias depois do desastre, segundo informações da Defesa Civil.   Em dinheiro, o Estado já recebeu mais de R$ 16 milhões em doações às vítimas das enchentes. O dinheiro foi depositado nas nove contas bancárias de diferentes bancos, segundo informações divulgadas pela Defesa Civil.     Segundo o órgão, o dinheiro será usado prioritariamente na reconstrução de casas de vítimas dos estragos provocados pelas chuvas no Estado. A orientação da Defesa Civil é para que o transporte de doações que ainda estão nos Estados seja programado - através do número (48) 4009-9886. Na semana que vem, uma nova central de arrecadação e distribuição com 10 mil metros quadrados na Grande Florianópolis.    

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.