James Tavares/Secom
James Tavares/Secom

Santa Catarina registra 38 ataques de facções em cinco dias

Ações de criminosos ocorreram em dezenove cidades; governo atribui ataques ao Primeiro Comando da Capital (PCC)

Marcone Tavella, Especial para o Estado

04 de setembro de 2017 | 13h48

FLORIANÓPOLIS - O Estado de Santa Catarina registrou 38 ataques de facções criminosas a 19 cidades desde quarta-feira, 31. A Secretaria de Segurança Pública informou que 29 pessoas foram presas em resposta à ação dos bandidos. Neste domingo, 3, bombas foram lançadas a um prédio público, um fórum foi alvo de disparos, um agente ficou ferido e dois suspeitos foram mortos em confronto com a Polícia Militar. 

Em Palhoça, na Grande Florianópolis, duas bombas foram lançadas pela manhã contra a sede do Departamento de Administração Prisional (Deap), atingindo uma viatura. Durante a madrugada, um PM foi ferido com um tiro no pé em confronto com criminosos na região da Vila União, em Florianópolis. 

Na noite de domingo, o Fórum de Navegantes foi alvo de quatro disparos por volta das 19h. Pouco tempo depois, na cidade vizinha Itajaí, a PM entrou em confronto com bandidos depois que a sede da 2ª Companhia do 1º Batalhão de Polícia Militar foi alvo de disparos. Um homem de 26 anos e um adolescente morreram na troca de tiros. 

Ações

A sede administrativa do governo de Santa Catarina, em Florianópolis, foi alvo de dez disparos entre a tarde de quinta e a madrugada desta sexta, 1º. O Estado liga a série de ataques a facções, incluindo o Primeiro Comando da Capital (PCC). 

Na semana passada, o governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, disse tratar-se de um movimento nacional. “É uma situação que desafia o Brasil todo, um movimento nacional do crime organizado. A polícia está trabalhando em duas vertentes, todo o processo de inteligência está ativo 24 horas por dia, conduzindo todas as informações”, afirmou o governador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.