Cadu Rolim/Foto Arena
Cadu Rolim/Foto Arena

Santa Catarina tem ao menos 11 novos ataques na quarta noite de violência

Casos ocorreram entre a noite de quarta e a madrugada desta quinta; base da PM e escola desativada sofreram atentados

15 Novembro 2012 | 10h17

Atualizada às 11h03

SÃO PAULO - No quarto dia seguido de violência, 11 novos ataques foram registrados em seis cidades de Santa Catariana entre a noite de quarta-feira e a madrugada desta quinta-feira,15, feriado da Proclamação da República. Entre os atentados estão o incêndio de uma escola desativada em Florianópolis, disparos contra prédios da polícia militar e da Guarda Municipal, ônibus e carros queimados. As informações são do jornal Diário Catarinense.

Os casos ocorreram nos municípios de Florianópolis, Palhoça e São José, na Grande Florianópolis, e nas cidades de Tijucas, Balneário Camboriú e Itajaí, no litoral norte do Estado. Ao menos quatro ônibus, incluindo um veículo escolar e um coletivo de turismo, foram queimados, além de três carros, de acordo com o jornal. O primeiro ataque a ônibus foi registrado no bairro dos Ingleses, ao norte da ilha de Florianópolis, onde um ônibus foi incendiado por volta das 20h.

Em Palhoça, também na noite de quarta-feira, o motorista de um ônibus atacado escapou por pouco das chamas e chegou a ter as roupas chamuscadas.

Entre as 23h e as 23h30 de quarta uma central de monitoramento da PM foi alvo de três disparos em São José e uma base da Guarda Civil foi alvejada cerca de 12 vezes em Balneário Camboriú. Ninguém se feriu.

Prisões. A polícia de Santa Catarina prendeu 27 suspeitos, entre eles 12 adolescentes, envolvidos em ataques no Estado ocorridos entre as 18h de terça-feira e as 6h de quarta. Vinte e dois crimes foram registrados no período, 14, segundo a Secretaria de Segurança Pública. Os casos aconteceram nos municípios de Florianópolis, Criciúma, Itajaí Palhoça, Blumenau, Camboriú e Navegantes.

Mais conteúdo sobre:
SANTA CATARINA ataques ônibus

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.